De cara nova: revitalização dos arcos promete atrair turistas para ladeiras da Montanha

salvador
24.09.2020, 06:00:00
((Foto: Marina Silva/CORREIO))

De cara nova: revitalização dos arcos promete atrair turistas para ladeiras da Montanha

Além de oferecer melhor estrutura para profissionais, reforma espera adicionar mais um ponto turístico na região

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Quem, hoje, passa pela Ladeira da Montanha, localizada no Centro Histórico de Salvador, já vê, entre placas de proteção, barreiras de ferro e cones, a notável diferença nos arcos do local, que estão bem diferentes do que se via quando a reforma foi iniciada. Com paredes constatadas entre o branco e o colorido, o lugar, que abriga oficina de ferreiros, passa a ter uma estética semelhante a de lugares históricos soteropolitanos como o Pelourinho e o Santo Antônio, por exemplo.

Apesar da beleza que chama a atenção, os arcos não foram reformados apenas para fins estéticos. A área, que abriga várias oficinas de ferreiros há anos, foi requalificada para oferecer melhores condições de trabalho para esses profissionais. Segundo Luciano Sandes, titular da Secretaria de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), a mudança acontece para acabar com as condições insalubres que os ferreiros enfrentavam. "Essa obra requalifica 17 arcos de trabalho que estavam em condições insalubres. Nós praticamente refizemos os arcos que, por ter um pé direito alto, ganharam um mezanino para armazenamento de material. É uma reforma que chama atenção pela mudança estética, mas, ao falar de estrutura, respeitou todas as características do trabalho exercido ali pelos ferreiros. Toda estrutura é adequada para o que eles desenvolvem", afirma.

Estrutura dos arcos foram reformadas para dar condições mais adequadas aos artíficies (Foto: Marina Silva/CORREIO)

Valor turístico

É claro que todo o colorido do local e a estética bem soteropolitana das fachadas dos arcos devem chamar atenção de turistas e curiosos. Afinal, o povo não aguenta ver um ambiente colorido e arrumado que quer visitar e fotografar no lugar. A Seinfra sabe desse potencial de atração e espera que tanto os visitantes como os soteropolitanos comecem a passar por ali e desfrutar da arquitetura e da vista da Baía de Todos os Santos que o lugar oferece. "O projeto tem essa abrangência de ação. A reforma tem dois objetivos muito claros. Um é a promoção de uma estrutura adequada para os trabalhadores. A outra é leva em conta a estrutura cultural e cênica da cidade pra transformar esses locais em um ambiente que desperte curiosidade das pessoas", diz Sandes.

Quem concorda com a fala de Sandes é o secretário de cultura e turismo de Salvador,  Pablo Barrozo. De acordo com ele, a reforma do espaço significa a adição de mais uma opção turística para os que caminham pelo Centro Histórico da capital baiana. Barrozo declarou também que a Secretaria de Cultura e Turismo (Secult) estuda iniciativas que fomentem visitas. "A reforma dos Arcos da Montanha é um atrativo a mais para o turismo na região, assim como a Praça Cairu, a nova Praça Castro Alves e a requalificação da Avenida Sete, que são o portal de entrada para o Centro Histórico, um dos locais mais visitados no mundo. Estamos avaliando como incentivar a movimentação na área. Assim que tivermos novidades, vamos divulgar", garante.

Orgãos públicos acreditam que espaço chamará a atenção de turistas (Foto: Marina Silva/CORREIO)

Com o incentivo ao turismo nas ladeiras e a possibilidade de ver muito mais clientes no local, os pequenos comerciantes que trabalham por ali estão empolgados para que a requalificação seja concluída. Ana Silva, 63 anos, vendedora ambulante, acredita que a reforma vai fazer chover gente por lá. "Se não é essa reforma, tanto a ladeira de Conceição como a da Montanha continuariam em um estado muito ruim. Quem trabalha pela região fica feliz porque queremos o nosso local valorizado para que pessoas se interessem em caminhar por aqui como fazem na região do Pelourinho e a gente possa vender nossas coisas", declara.

Evandro Barreto, 54, que tem uma barraca de venda de bebidas na Ladeira da Montanha, elogiou a beleza do local e garante que não deve faltar gente porque a estética importa muito para as pessoas quando elas pensam em visitar algum lugar. "A gente ganha muito com isso aqui. Mal posso esperar pra ver tudo funcionando. Deixar isso aqui mais bonito é a mesma coisa que botar promoção em cerveja: chama gente que é uma beleza. O povo só quer ir pra lugar bonito", argumenta. 

A verdade é que Evandro tem razão. A reestruturação do espaço já chama a atenção de quem passa por ali. Darlan Ferreira, 24, que estagia no Comércio e passa pela ladeira na volta pra casa, reparou na reforma e ficou surpreso com a diferença. "Tenho observado diariamente o decorrer das obras quando passo de ônibus e já tô muito curioso pra ver de perto. Faço esse mesmo trajeto há anos e sempre imaginei como seria se reformassem ali. A vista é tão linda, vai casar muito", espera o estudante de comunicação.

Obra chama a atenção de soteropolitanos que passam pela Montanha (Foto: Marina Silva/CORREIO)

Reforma 

Com investimento de R$ 4,5 milhões, as intervenções nas muralhas e ladeiras deste trecho do Centro Histórico, que devem ser entregues em outubro, envolvem obras estruturais, cênicas e paisagísticas no trecho. O projeto consiste na consolidação e estabilização estrutural e recuperação urbanística das ladeiras existentes no local. A elaboração do projeto é de responsabilidade do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e doado para o poder executivo municipal que, com recursos próprios, viabilizou as intervenções através da Seinfra.

Intervenções custaram R$ 4,5 milhões (Foto: Marina Silva/CORREIO)

Os 17 arcos da Montanha são acessados pela Ladeira da Conceição da Praia. Todo o projeto foi discutido com os moradores e artífices da Ladeira da Montanha, em negociação mediada pela Defensoria Pública da União, o que levou à sua adequação para execução em duas etapas, permitindo a permanência da população na região.

*Sob orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro e da subeditora Fernanda Varela

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas