De Dinei a Rend: Vitória sofreu com baixas médicas na temporada

e.c. vitória
30.12.2021, 14:24:00
Dinei fez 14 jogos pelo Vitória na temporada até se lesionar (Pietro Carpi/EC Vitória)

De Dinei a Rend: Vitória sofreu com baixas médicas na temporada

Leão teve série de jogadores no DM, seja por lesões graves ou até recorrentes

O Vitória fechou 2021 de forma melancólica. O ápice da frustração foi a campanha na Série B, que terminou com a queda para a terceira divisão. Se não bastasse, o time também não conseguiu se classificar para a Copa do Nordeste, do qual é o maior campeão. Além de ruim dentro de campo, a temporada também sofreu com as más notícias no departamento médico.

Um grande exemplo é Dinei. Ídolo da torcida rubro-negra, o centroavante foi contratado em maio como grande reforço para o ataque, mas teve poucas chances.

Após 14 jogos, sendo 13 pela Série B e um pela Copa do Brasil, o atacante sofreu lesão no ligamento do joelho em julho. Teve que passar por cirurgia e não jogou mais na temporada. Terá uma nova chance ano que vem, já que renovou com o Vitória.

Outra baixa significativa foi Mateus Moraes. Revelado nas divisões de base do clube, o zagueiro vinha sendo titular na Série B até que, em outubro, teve uma lesão grau 5 na clavícula constatada. Mais um que precisou ser operado e não entrou mais em campo.

Quem também passou um longo tempo fora foi Gabriel Santiago. O meia foi submetido a uma cirurgia no ligamento cruzado anterior (LCA) no mês de março e ficou seis meses afastado. Finalmente retornou em outubro, já na reta final da Segundona, porém não jogou pela competição.

Lesões em série
As lesões gravíssimas, que precisaram de cirurgia, não foram as únicas. Alguns jogadores sofreram com problemas recorrentes e tiveram várias idas e vindas ao departamento médico. Como Guilherme Rend. 

O volante era titular até ser afastado em março, quando sofreu uma lesão na coxa. Chegou a fazer tratamento com oxigenoterapia hiperbárica para acelerar o processo. Contudo, quando se aproximava do retorno, teve uma calcificação e precisou ficar mais tempo em recuperação.  

Rend completou 185 dias longe dos gramados até retornar no fim de setembro, diante do Londrina. Fez mais dois jogos e voltou a ficar de fora, após se queixar de um desconforto muscular. 

Outro em situação parecida foi Vico. Em maio, o atacante teve uma lesão muscular na parte anterior da coxa esquerda. Retornou gradualmente às atividades com bola e ficou em campo por 17 minutos contra o Vasco, pela 16ª rodada da Série B. Foi o único jogo dele na competição.

Vico ficou fora das partidas seguintes, já que a intenção era que ele retornasse de forma gradual. Mas não deu: em um treinamento em agosto, o atleta sofreu mais um problema, dessa vez no reto femoral da coxa esquerda.

Em outubro, o Vitória confirmou uma lista com oito jogadores que não seriam mais aproveitados na temporada - e Vico estava incluído. Vale lembrar que, em postagem nas redes sociais, o atacante relatou que chegou a investir dinheiro em tratamento para entrar em forma o quanto antes e se mostrou “extremamente triste” com a situação.

A mesma relação de jogadores afastados também chamava a atenção por outros dois nomes: Gabriel Inocêncio e Sérgio Mota. O primeiro chegou ao clube em maio, com uma lesão de menisco, e precisou passar por cirurgia. Estreou em junho, contra o Remo, pela 4ª rodada da Série B, e fez mais uma partida, diante do Avaí, no fim de julho. E só.

O caso de Sérgio Mota é ainda mais emblemático. Menos de um mês depois de ser anunciado e ainda à espera da estreia, o meia foi diagnosticado com um edema na coxa. Se recuperou, chegou a ser relacionado, mas nunca entrou em campo pelo Vitória. Veio então a lista dos atletas afastados, com o nome dele incluído.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas