De supermodelo a defensora das mulheres: 15 fatos da vida de Luíza Brunet

em alta
26.07.2020, 11:59:00
(Foto: Reprodução)

De supermodelo a defensora das mulheres: 15 fatos da vida de Luíza Brunet

Ela irá participar de live no Instagram do CORREIO na próxima segunda, às 19h

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Nos anos 80 e 90, antes da era Gisele Bündchen, pertencia a Luíza Brunet, 58 anos, o posto de sinônimo da beleza brasileira. A atriz e modelo desfilou seu talento pelas passarelas do mundo, vivendo uma vida cercada de luxo e glamour. Mas nem sempre foi assim para a menina que nasceu no interior do Mato Grosso do Sul, filha de um agricultor cearense e uma costureira mineira.

Segunda filha de 8 irmãos, ela cresceu numa casa simples e, aos 9 anos, se mudou para o Rio de Janeiro com a família em busca de uma vida melhor. Precisou trabalhar desde cedo para ajudar com as contas da família.

Toda a sua trajetória de sucesso, além de detalhes da sua vida pessoal, serão retratados na próxima segunda (27), 19h, em entrevista no Instagram do CORREIO como parte do projeto Segundou, comandado pelo publicitário Joca Guanaes. Antes, fique com 15 fatos de sua vida e carreira. 

1. Infância simples

Hoje acostumada com os holofotes, a criança ainda chamada Luíza Botelho da Silva, filha de dona Alzira e seu Luiz, nasceu em uma choupana de sapê, em Itaporã no MS. Seu pai trabalhava em uma fazenda de café e sua mãe cozinhava para os lavradores.

Crescer no meio do mato e com poucos recursos permitiu a Luiza e seus seis irmãos brincar com o que a natureza oferecia. “Subíamos em árvore, brincávamos de correr atrás dos pintinhos, fazíamos bonecos de espiga de milho”, contou ela em entrevista ao CORREIO em 2014.

A jovem Luíza Brunet (Foto: Reprodução)

2. Violência familiar


O pai de Luíza, seu Luiz, era alcoólatra e costumava agredir a esposa Alzira. Em entrevista ao portal Uol, a mãe da modelo disse que a violência durou 17 anos, sendo que o primeiro episódio ocorreu na semana seguinte ao casamento dos dois.

Luíza e sua mãe, Alzira (Foto: Reprodução)

3. Trabalho desde os 12

Aos 9 anos, ela se mudou para o Rio de Janeiro com a família. Lá teve que trabalhar desde os 12 anos para ajudar nas contas de casa. Ela, ainda adolescente, foi babá, empregada doméstica, empacotadora em um supermercado e vendedora em uma loja de roupas.

4. Abuso

Em quase todos os seus trabalhos, no entanto, ela enfrentou enfrentou o mesmo problema: pedofilia. A primeira vez foi quando era babá e um vizinho da família para quem trabalhava a agarrou contra a parede, levantou sua blusa e a beijou.

A partir daí ela sempre enfrentava problemas para conseguir se manter num emprego pois a maioria dos patrões repetia essa atitude.

“Minha família perguntava por que eu nunca conseguia ficar muito tempo num emprego, essa era a razão”, disse ela em entrevista ao CORREIO em 2014.

5. Casamento ainda jovem


Para tentar escapar dos assediadores, Luíza pensava em casar cedo para assim tentar impedir a ação deles. E assim o fez aos 17 anos com Gumercindo Brunet, de quem ganhou o sobrenome que a deixou famosa. Gumercindo era filho do dono da rede de postos de gasolina na qual trabalhava o pai de Luíza.

Casou-se e foi morar na zona sul do Rio com o homem que lhe mostrou um novo mundo. “Com Gugu, conheci a vida que jamais havia imaginado que existisse”, revelou ao CORREIO em 2014.


6. Começo por acaso

Luíza não tinha o sonho de tornar-se modelo, ela foi descoberta por acaso. Fã de Rose di Primo, foi convidada por um amigo para conhecê-la em uma sessão de fotos. Lá, o fotógrafo pediu para que ela posasse também, e daí em diante não lhe faltaram propostas de trabalho.

Luíza em seu começo de carreira (Foto: Reprodução)

7. Abortos

Aos 20 anos, ainda casada com Gumercindo, ela descobriu que estava grávida. Na época ela conversou com o marido e disse que não pretendia dar uma pausa em sua carreira para criar um filho. Por conta disso, foi até uma clínica clandestina realizar um aborto.

Outro procedimento parecido foi feito em 1998, logo após ela ter seu segundo filho, Antônio. Ainda traumatizada com o último parto e com um filho ainda bebê, ela optou mais uma vez por encerrar a gestação.

Luiza Brunet e Yasmin Brunet marcam presença na Hering Store do ...

Luíza e sua filha mais velha, Yasmin (Foto: Divulgação

8. Revistas adultas

Considerada um símbolo sexual do Brasil, Luíza foi convidada para posar nua em revistas masculinas, tendo aceitado em 7 oportunidades: 3 na Playboy e 4 na Ele e Ela.

Foto: Reprodução

9. Filmes e novelas

Além das passarelas, Brunet mostrou seu talento nas telinhas e telonas. Na TV ela atuou em mais de 10 novelas, contando papéis e participações especiais. Já nos cinemas ela apareceu no longa “Os Trapalhões e o Rei do Futebol”.

10. Fora em Pelé

Falando em Pelé, a ex-modelo conta em sua biografia "Luíza" (Primeira Pessoa) de um fora que deu no Rei do Futebol.

"Em dezembro de 1980, fizemos uma capa para a revista Manchete com outras duas modelos e o Pelé entre nós, de smoking. Ele já era Rei, e ficamos bem animadas em conhecê-lo. No intervalo dos cliques, aproximou-se e me disse: 'Luiza, você tem compromisso para esta noite?' Fiquei sem graça, desviei o olhar e fui sincera: 'Tenho, sim. Vou fazer jantar para o meu marido'", diz nas páginas da Luíza.

11. Vitiligo

Quem vê não imagina, mas ela sofre desde os 2 anos com vitiligo. Por ser uma doença autoimune ela nunca foi curada. O que ela faz para disfarçar as manchas são truques de maquiagem. Mas ela diz não se incomodar muito com a condição. “ Não vou me matar porque tenho vitiligo. Posso ter uma vida saudável, sexualmente maravilhosa, sem focar na doença”, diz em sua biografia. 

Luiza Brunet conta que usa maquiagem para camuflar o vitiligo ...

Foto: Reprodução

12. Experiência homossexual

Em sua biografia ela também revelou um episódio ocorrido em uma viagem de trabalho, quando vivenciou sua única experiência homossexual com outra modelo com quem dividiu um quarto.

“Ela estava na minha cama e me abraçava por trás. Senti seu perfume e, em seguida, seu beijo. Me deixei levar”, confidenciou Brunet ao CORREIO em 2014.

Foto: Reprodução

13. ‘Toda mulher é feminista’

Luíza sempre foi conhecida por viver a sua vida, sem se preocupar com padrões e pressões. Ela falava abertamente sobre sexualidade e masturbação, por exemplo, quando o assunto ainda era tabu entre o sexo feminino. Em seus 58 anos, ela se viu sendo agredida e humilhada apenas por ser mulher, por isso ela sempre defendeu a bandeira do feminismo.

“A minha causa é pelas mulheres do Brasil e do mundo, onde houver mulheres para quem eu possa falar. Essa já é uma política boa para mim: ser ativista dos direitos da mulher”, disse ela em entrevista no ano passado para a RFI.

14. Agredida aos 50

Um desses episódios onde ela sofreu apenas por ser mulher ocorreu em 2016, quando ela foi agredida e teve 4 costelas pelo ex-marido, o empresário Lírio Parisotto. “Apanhar de um homem quase aos 50 anos de idade foi a gota d’água para que eu pudesse tomar uma atitude. Me tornei uma mulher agredida como centenas de outras mulheres no Brasil”, lembrou Luíza sobre o episódio em entrevista à RFI em 2014.

Foto: Reprodução

15. Ligações políticas


Mesmo não tendo dado muitas declarações públicas sobre suas opiniões políticas, Luíza Brunet já revelou ser fã do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que inclusive escreveu o prefácio de sua biografia.

*com supervisão do chefe de reportagem Jorge Gauthier

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas