De volta à atividade, MAM anuncia reabertura do cinema em setembro

variedades
20.08.2021, 17:55:00
Atualizado: 20.08.2021, 18:41:41
(Divulgação/MAM)

De volta à atividade, MAM anuncia reabertura do cinema em setembro

Retomada das atividades do Museu acontecerá em etapas

Fechado há um ano e meio devido à pandemia, o Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-Bahia) retomou as atividades nesta terça-feira (17) estreando uma nova exposição e já com a programação cheia para o resto do ano. Em setembro, deve acontecer a reabertura do cine MAM/Solar do Unhão.

A sala de cinema é administrada pelo Circuito Saladearte, que recentemente passou por uma séria crise e correu o risco de encerrar as atividades, mas conseguiu se recuperar. Para compensar o período que permaneceu fechado, desde março de 2020, a organização elaborou uma campanha de financiamento coletivo para salvar o cinema que atua há 21 anos fazendo curadoria de filmes nacionais e internacionais em Salvador.
 
Com a campanha “Juntos Pela Saladearte!” foi possível arrecadar R$ 362 mil reais, valor suficiente para pagar os débitos emergenciais que impediam a reabertura do Circuito. Agora, a sala localizada no MAM já se prepara para receber os visitantes.

Ainda na terça, foi aberto também o Café do Circuito Saladearte.
 
“Depois, até final de novembro devemos abrir o Espaço Lina Bo Bardi que será uma sala dentro do museu para memória da arquiteta – criadora e primeira diretora do museu (1959/1963) –, mostras e experimentações sempre ligadas a ela e sua obra”, explica o diretor do MAM-Bahia, o cineasta e gestor cultural, Pola Ribeiro. 
 
Neste segundo semestre de 2021, também deve ser lançada licitação pública para o restaurante, píer e atracadouro do Solar do Unhão restaurados pela Secretaria de Turismo do Estado da Bahia (Setur), através do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur).

Programação e obras
A reabertura do Museu de Arte Moderna começou com a inauguração da exposição ‘O Museu de Dona Lina’. Totalmente gratuita, a mostra recebe visitação somente de terça a sexta-feira, das 13h às 17h, até o dia 10 de dezembro, em dois dos espaços expositivos do MAM-Bahia, a Capela e o Casarão.

A exposição reúne cerca de 300 obras do Acervo fixo do MAM junto a peças do Acervo de Arte Popular Lina Bo Bardi do Centro Cultural Solar Ferrão, num diálogo entre as duas coleções. O Acervo de Arte Popular (Dimus/Ipac) foi uma iniciativa de Lina que reuniu essas peças entre o final da década de 1950 e início da década de 1960, a partir de doações e de viagens realizadas por ela no Recôncavo e no semiárido baiano.
 
Já o Acervo do MAM é composto por aproximadamente 1,3 mil obras modernas e contemporâneas, representando um painel composto de contribuições de artistas de várias gerações, baianos, brasileiros e estrangeiros. Dentre eles, modernistas como Tarsila do Amaral e Candido Portinari, até os contemporâneos, como Mario Cravo Neto e Marepe. O Acervo de Arte Popular da Dimus/Ipac, por sua vez, reúne peças utilitárias e figurativas, como carrancas, ex-votos, imaginária, vestuários e utensílios domésticos, dentre outros itens.
 
Manifestações
 Os moradores da Comunidade do Solar do Unhão, vizinha ao espaço cultural, realizaram uma manifestação na manhã da reabertura. Eles acusaram o Museu de ser racista e de promover segregação, depois que o acesso deles à Prainha do MAM foi impedido.
 
Durante a reforma do espaço, o portão principal, que, antes da pandemia, permitia a chegada à praia, estava fechado. Por isso, algumas pessoas pulavam o muro do Museu, que passou a funcionar como alternativa à grade.
 
Moradores e administração do MAM ainda tentam entrar em acordo sobre o acesso aos espaços.
 
Protocolos e história
 Vinculado ao Instituto do Patrimônio (Ipac) da Secretaria de Cultura (Secult-BA), o MAM-Bahia afirma obedecer às determinações e protocolos de segurança contra a Pandemia da Organização Mundial de Saúde, do Ministério da Saúde e da Secretaria de Saúde do Município. O Café Saladearte fica aberto nos mesmos dias/horários da exposição: terça a sexta-feira, das 13h às 17h.
 
O MAM foi criado em 1959. Em 1960 a sua criadora e primeira diretora, Lina Bo Bardi faz a primeira exposição do museu no foyer do Teatro Castro Alves e em 1963 a primeira exposição já no complexo arquitetônico do Solar do Unhão. Mais informações sobre o MAM e suas atividades estão disponibilizadas em suas redes sociais (instagram e facebook) ou via telefone (71) 31176132, das 9h às 12h e das 13h às 15h.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas