DEM apresenta Paulo Azi como presidente estadual e aposta em ACM Neto para 2022

bahia
25.04.2019, 22:00:00
Atualizado: 25.04.2019, 22:00:45
(Foto: Betto Jr / CORREIO)

DEM apresenta Paulo Azi como presidente estadual e aposta em ACM Neto para 2022

Nova direção do partido na Bahia foi anunciada durante convenção nesta quinta (25)

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O pontapé inicial para a disputa eleitoral na Bahia foi dado pelo Democratas nesta quinta-feira (25) durante a convenção do partido no estado, realizada no Hotel Fiesta, em Salvador. Além de confirmar o deputado federal Paulo Azi como o presidente estadual, o DEM já aponta para 2022 e aposta, nas entrelinhas, no prefeito ACM Neto como candidato ao governo do estado. 

Além de Azi, atuarão na gestão do partido o vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis, o deputado federal Arthur Maia e o prefeito de Camaçari, Antônio Elinaldo, como vices-presidentes da sigla no estado. A direção ainda terá o deputado estadual Sandro Régis, que será o primeiro secretário.

O antigo presidente do Democratas, o ex-deputado federal José Carlos Aleluia decidiu deixar a direção do partido para seguir com novos projetos. O atual presidente Paulo Azi já estava a frente do partido desde o início do mês e foi oficializado no comando durante a convenção.

Além de anunciar os nomes para a chapa, muito foi falado no evento sobre uma nova postura do Democratas para garantir quadros políticos nas próximas duas eleições. O prefeito de Salvador ACM Neto, que também é presidente nacional do Democratas, garantiu que irá pessoalmente em convenções municipais do partido em todo o estado para lançar candidatos às prefeituras. 

"Aleluia fez um grande trabalho de organização partidária. Agora, será tarefa de Paulo Azi fortalecer o Democratas ainda mais para que possamos disputar as eleições com grandes nomes, pois já provamos que sabemos governar. Vamos nos tornar cada vez mais fortes no Brasil, na Bahia e nos municípios desse estado, inclusive buscando novos quadros, pessoas que se identifiquem com nossas ideias, com nosso jeito de governar e de fazer política", disse o Neto.

No comando da prefeitura de Salvador e figurando como o principal partido de oposição ao governador Rui Costa e sua base, o objetivo do Democratas é ter representantes eleitos tanto na prefeitura de Salvador, quanto na gestão do estado. Os preferidos para os cargos são, respectivamente, o vice-prefeito Bruno Reis e o prefeito ACM Neto.

Os deputados federais, deputados estaduais, vereadores e prefeitos eleitos já escolheram seus pré-candidatos. A todo o momento, Neto e Bruno foram elencados como “futuro governador" e “futuro prefeito”. Apesar de evitar uma confirmação, o prefeito destacou o papel político de Bruno Reis, que o auxilia na articulação política.

Estratégias
Os próximos passos do Democratas em direção às eleições que estão por vir é estruturar o partido e tentar fazer candidatos no maior número de municípios possível. “Vamos ter uma atenção as 50 maiores cidades do Estado, mas o objetivo é buscar a candidatura em todos os municípios da Bahia. O primeiro objetivo nosso já é estruturar a sigla em todos as cidades. É importante ter uma representação levando as ideias e mensagens do nosso partido. O objetivo é o máximo de candidaturas próprias em cada uma das cidades, mas não vamos descartar o diálogo e a possibilidade de apoiar outra sigla. Esse processo vai nos fortalecer também para 2022, quando apresentaremos um novo projeto de governo para a Bahia e iremos derrotar o PT", destacou o presidente Paulo Azi.

O Democratas possui o comando da Câmara dos Deputados, com o presidente Rodrigo Maia, e do Senado Federal, com Davi Alcolumbre. Correligionários apostam que esse maior destaque à sigla se transforme em visibilidade e votos para eleger mais quadros nas próximas eleições.

Coligações
Por conta do fim das coligações proporcionais, as eleições municipais de 2020 contarão com uma dinâmica diferente. Os partidos menores não poderão coligar com outros para sobreviver às eleições e conseguir eleger quadros. A tendência é que os “nanicos” sejam extintos e que apenas os partidos maiores sobrevivam.

É justamente por conta do fim das coligações, que eventos como a convenção estadual do Democratas passa a ser importante para as siglas, já que a presença de um prefeito na eleição puxa a votação de outros vereadores e que o maior número de candidaturas também auxilia que o partido eleja mais pessoas.

“Essa experiência nova vai exigir e todos nós a intensificação das ações partidárias. Temos que levar novas ideias, fazer com que novos atores e atrizes possam participar da vida política. A nossa prioridade é atrair novos filiados, buscar a juventude para participar do processo político, além das mulheres e as minorias”, defendeu o presidente estadual do DEM, Paulo Azi.

O prefeito ACM Neto também destacou  a importância de fazer o maior número de candidatos à câmara municipal nos próximos anos. “Nós vamos percorrer os quatro cantos da Bahia discutindo os problemas. Teremos diálogo no interior e na capital de maneira permanente. Não vamos ficar presos nas paredes do partido aqui em Salvador”, defendeu.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas