DEM expulsa hacker acusado de invadir celular de Moro

brasil
25.07.2019, 16:16:24
Atualizado: 25.07.2019, 16:40:01

DEM expulsa hacker acusado de invadir celular de Moro

Walter Delgatti Neto descumpriu estatuto; medida foi anunciada pelo presidente da legenda, ACM Neto

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Foto: Reprodução

O presidente nacional do Democratas e prefeito de Salvador, Antonio Carlos Magalhães Neto, determinou a expulsão da sigla de Walter Delgatti Neto, acusado de ser um dos hackers que invadiu os celulares de autoridades, dentre elas o ministro da Justiça, Sérgio Moro. Delgatti Neto foi preso no âmbito da operação Spoofing.

Em nota, o prefeito de Salvador alega que Walter Delgatti descumpriu os "deveres éticos previstos estatutariamente" pelo Democratas. E destacou que ele não tem participação ativa na vida partidária da legenda.

"É importante ressaltar que o Democratas não pode se responsabilizar pelas atitudes dos milhares de filiados ao partido e que condenamos, de maneira veemente e dura, o cometimento de qualquer ato de irregularidade por quem quer que seja - filiado ao DEM ou outras legendas. O Democratas Nacional espera que a Justiça esclareça os fatos e que os envolvidos no processo criminoso sejam punidos de forma efetiva e com todo rigor", escreveu ACM Neto.

Quem é
Preso em Ribeirão Preto (SP), Walter é conhecido como "Vermelho" e gostava de se apresentar como alguém influente em Araraquara (SP). Ele afirmava ser investidor e lidar com contas na Suíça. Já chegou a fingir também ser estudante de medicina na USP, o que não é verdade. 

Em 2015, foi acusado por uma garota de 17 anos, que namorava seu irmão, de estupro. Na época, ele foi alvo de um mandado de busca e apreensão em casa. A adolescente depois modificou o depoimento.

Pelo Twitter, depois de ficar muito tempo inativo, Delgatti voltou recentemente e passou a fazer mensagens criticando o presidente Jair Bolsonaro e Sergio Moro. Apesar de compartilhar muito conteúdo ligado à esquerda, era filiado ao DEM desde 2007.

Leia também: Saiba quem são os quatro presos sob suspeita de hackear autoridades

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas