Demanda por vacina contra gripe gera filas nos postos de saúde de Salvador

salvador
08.07.2021, 04:30:00
Fila em Unidade Básica de Saúde do Imbuí (Nara Gentil/CORREIO)

Demanda por vacina contra gripe gera filas nos postos de saúde de Salvador

Quantidade de vacinas não foi suficiente na UBS Alfredo Bureau, no Imbuí

A grande procura pela vacina da gripe Influenza nesta quarta-feira (7) gerou fila nos postos de saúde da capital baiana. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, as doses terminaram logo pela manhã em alguns locais e, enquanto acontecia a reposição, os pacientes foram direcionados para outros postos.

Apesar disso, Teresa Cristina, 55 anos, esperou 2 horas pela reposição. Ela chegou às 8h30 na Unidade Básica de Saúde Alfredo Bureau, no Imbuí, mas só conseguiu ser vacinada às 11h30.

“Na hora que a vacina chegou, o processo foi mais rápido e eles acomodaram todo mundo depois da demora. Mas algumas pessoas até desistiram antes de chegar, porque não nos davam informações ou previsões. Eu esperei porque estava precisando mesmo”, reclamou.

Ela acredita que o pior transtorno era a falta de informação e incerteza sobre a chegada. O mesmo pensa Gildevaldo Santana, 59, que relatou a angústia. “A responsável por pegar a vacina estava aguardando o veículo da Prefeitura que apanha a vacina. Ela pegou, retornou ao posto, eles esperaram a temperatura da vacina estabilizar e logo começaram a vacinar”, relatou o aposentado.

Ele chegou pouco antes das 9h e saiu às 11h, vacinado. Quanto aos desistentes, Gildevaldo disse que quase foi um deles. Morador do Imbuí, afirma que mora próximo de dois postos e que só não deixou a Unidade Básica de Saúde Alfredo Bureau por temer que a outra estivesse pior.

“No horário de meio-dia, fica até mais vazio, mas não quis arriscar, já que à tarde eu tinha uma atividade. Também estou próximo de tomar a segunda dose da vacina de coronavírus e sei que tem um intervalo de tempo entre uma vacina e outra”, pontua.

Com as campanhas de imunização contra a covid-19 e a gripe acontecendo em paralelo, as pessoas podem ficar em dúvida sobre qual vacina tomar primeiro. Os especialistas dizem que não existe uma ordem, mas Doiane Lemos, subcoordenadora de Doenças Imunopreveníveis da SMS, explica que é preciso obedecer um intervalo de 14 dias entre as duas. 

“A recomendação é que os indivíduos possam observar o intervalo de 14 dias entre a administração das vacinas da gripe e do coronavírus”. Ou seja, se tomou a da covid, após 14 dias pode tomar a da influenza e vice-versa.

UBS Alfredo Bureau
UBS Alfredo Bureau (Nara Gentil/CORREIO)

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas