Dentista é encontrada morta com tiro na nuca em divisa da Bahia com MG

bahia
24.03.2021, 18:18:00
(Foto: Acervo Pessoal)

Dentista é encontrada morta com tiro na nuca em divisa da Bahia com MG

Namorado da vítima, Oficial da PM é suspeito de cometer feminicídio

Cidade pacata na divisa entre Bahia e Minas Gerais, Divisa Alegre vive um drama desde a noite da última segunda-feira (22): dentista atuante no município, Ana Luiza Souto Dompsin, 25, foi encontrada morta com um tiro na nuca dentro de sua casa no pequeno município de pouco menos de 7 mil habitantes, segundo estimativa do Ibge.

O caso é apurado pela Polícia Civil de Minas Gerais e, por hora, duas linhas de investigação foram levantadas: suicídio, versão apontada pelo namorado, ou feminicídio - hipótese em que a família acredita.

Procurada, a Polícia Militar de Minas Gerais afirmou que teve guarnições acionadas após receberem informações de que uma mulher fora baleada dentro de um imóvel e encontraram a dentista sem vida no local. O namorado, identificado como Amaurí Araújo, é oficial da PM Baiana, lotado na 80ª Companhia Independente (CIPM/Cândido Sales). Num perfil do policial em uma rede social, ele aponta que trabalha no Pelotão de Emprego Tático Operacional (Peto). 

Amaurí foi encaminhado à Delegacia de Divisa Alegre e relatou que ouviu um disparo quando estava sentado na cama. O disparo teria sido feito pela própria jovem contra sua cabeça. Ele chegou a acionar o Serviço de Atendimento Movel de Urgência, mas Ana Luiza não sobreviveu.

Em nota, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) informou que o caso foi registrado  no município de Divisa Alegre e a investigação está em andamento na Delegacia de Polícia de Pedra Azul. Assim que acionada, a perícia técnica compareceu ao local, realizou os primeiros levantamentos e apreendeu a arma de fogo para ser periciada. O corpo foi encaminhado ao Posto Médico Legal de Almenara para se submeter a exames. A PCMG instaurou um inquérito policial para apurar o motivo e as circunstâncias dos fatos.

Uma prima de Ana Luiza, que preferiu ter o nome preservado, afirmou que a família não acredita em suicídio e sim em um feminicídio cometido pelo policial militar. Os familiares iniciaram uma campanha nas redes sociais com a hashtag #JustiçaPorAnaLuiza para tentar repercutir o caso.

"Eu só queria dizer que é um inferno ser uma mulher em um dos países que mais matam mulheres no mundo. Vai em paz, prima. Vamos cuidar de fazer justiça por você, fica tranquila. Te amo muito, baianinha. Nunca vamos esquecer a pessoa doce, educada, meiga, dedicada, alegre, gentil, festeira, amiga, diplomática, divertida que você sempre foi. Seu nome vai ser sempre motivo de orgulho pra nós. E vai ser sempre defendido por nós", escreveu a prima.

A Prefeitura de Divisa Alegre decretou luto oficial por 3 dias por conta da morte de Ana Luiza Dompsin. O corpo da dentista foi sepultado na tarde desta quarta-feira (24), no Cemitério Parque, em Vitória da Conquista.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas