Detran exonera envolvidos em esquema de fraude de venda de veículos

bahia
30.10.2018, 12:00:00
Documentos foram apreendidos com os suspeitos (Foto: Divulgação)

Detran exonera envolvidos em esquema de fraude de venda de veículos

19 motocicletas foram furtadas do pátio do Detran local, em troca de pagamento

O Departamento Estadual de Trânsito da Bahia (Detran-BA) exonerou o coordenador da da 8ª Circunscrição de Trânsito (Ciretran), Ítalo José dos Santos Souza, e o supervisor de inspeção da unidade, Jair dos Santos Santana. Eles são acusados de fazerem parte de um esquema criminoso que consistia na liberação de documentos falsos, subtração, venda e receptação de veículos depositados no pátio da unidade, localizada em Juazeiro, no norte do estado.

Eles foram presos preventivamente e denunciados pelo Ministério Público (MP) por organização criminosa e corrupção passiva. Os despachantes Jaisson e Souza e Juracy Macena dos Santos; o funcionário público Gedeon Gonçalves dos Santos e o motorista Mardônio Alves de Sousa também foram denunciados pelos mesmos crimes. Eles tiveram a prisão preventiva decretada pela Justiça, mas se encontram foragidos.

Uma sindicância da Corregedoria Geral do Detran-BA auxiliou a Polícia Civil na operação que desmontou, neste mês, o esquema de fraudes. As investigações apontaram a falsificação de documentos e liberação irregular de veículos.

O Detran informou em nota que a Corregedoria do departamento colabora com o MP no caso e reforçou a fiscalização na atuação dos servidores em 37 Ciretrans espalhadas pelo interior. “Estamos vigilantes a qualquer tipo de desvio de conduta, que será amplamente investigado e punido rigorosamente, na esfera administrativa, com o respectivo encaminhamento às autoridades policiais”, afirmou o diretor-geral do Detran, Lúcio Gomes.

Conforme a denúncia, o coordenador Ítalo José Souza comandava a organização criminosa, que contava com a atuação de despachantes para obter vantagem patrimonial indevida, por meio da subtração de automóveis do interior do próprio órgão e da emissão de documentos públicos falsificados, cobrando valores em troca dos veículos.

Cerca de 19 motocicletas chegaram a ser furtadas do pátio do Detran local, em troca de pagamento no valor entre R$ 300 e R$ 400. Segundo a denúncia, um veículo também foi negociado ilegalmente pela organização criminosa pelo valor de R$ 2 mil. Ítalo Souza e Gedeon Gonçalves também foram denunciados por peculato, falsificação de documentos públicos e por inserir dados falsos em sistema de informações.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas