Dia dos Pais: na pandemia, função de pai é mesclada com a de professor

educamais
09.08.2020, 06:00:00
(Foto: Shutterstock)

Dia dos Pais: na pandemia, função de pai é mesclada com a de professor

Momento também aproxima pais e filhos

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Com as aulas presenciais suspensas em virtude da pandemia em todo o Brasil, muitos pais tiveram que aumentar a função para também auxiliar os filhos nas tarefas escolares. Com o isolamento social e as demandas crescentes do home office, eles estão tendo que aprender a dividir a atenção com as crianças em casa.

Para o engenheiro Nixon Carvalho, 45 anos, pai do Tiago e do Felipe, de 7 e 9 anos, o papel de pai professor vai além das fórmulas matemáticas ou regras gramaticais. Através de bons exemplos, o pai deve contribuir para a formação do caráter de seus filhos. Esse é um dos principais desafios da paternidade para o Nixon.

“Tem um esforço grande de formar homens, falando no meu caso, já que sou pai de meninos. Homens que terão responsabilidade e serão cuidadosos com a esposa, filhos e a sociedade. Formar homens que serão decentes no trabalho, que vão olhar para o que têm no serviço e respeitarão a empresa, fazendo o seu melhor”, defende Nixon.

O engenheiro Nixon Carvalho com os filhos Tiago e Felipe, de 7 e 9 anos (Foto: Arquivo pessoal)

Professor de matemática há 25 anos, Walter Accioly Costa Porto, 47, sabe na prática como aliar a rotina profissional com a vivência paterna. Na pandemia, o “trabalho” como pai do João e do Antônio, de 8 e 11 anos, respectivamente, acaba se misturando com sua atuação profissional. “Na verdade, é difícil fazer essa separação de pai e professor. No fim, acaba se misturando mesmo, no meu caso”, explica.  

Para ele, embora a pandemia tenha toda uma carga negativa, é possível observar ganhos na relação com os filhos. “Se tem um aspecto que terminou sendo positivo, em meio a esse coisa ruim da pandemia, é o maior tempo de convivência com os filhos. Acaba que temos muito mais momentos juntos do que tínhamos normalmente”, opina Walter.

Na visão do psicólogo Iarodi Bezerra, o momento é desafiador, mas traz possibilidade de ganhos para as famílias. Coisas boas também estão acontecendo nesta pandemia. Mesmo à distância, os pais estão tendo que se aproximar mais da escola, dos professores e dos filhos.

“Fazer tarefas domésticas em parceria, cozinhar juntos, cantar, dançar, ver filmes, ler histórias, brincar ou, simplesmente, compartilhar e refletir sobre as angústias deste isolamento são aprendizados importantes para todos”, conclui Bezerra.  

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas