Disputa de terra é principal hipótese para motivação da morte de agricultor na Bahia

bahia
18.06.2021, 12:54:00
Atualizado: 18.06.2021, 12:57:28
(Reprodução)

Disputa de terra é principal hipótese para motivação da morte de agricultor na Bahia

Paulo Antônio Ribas Grendene denunciou grilagem na Operação Faroeste

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Uma disputa de terra é apontada como principal motivação para o assassinato do agricultor Paulo Antônio Ribas Grendene, de 62 anos, no dia 11 de junho, em Barreiras, no Oeste baiano. O secretário da Segurança Pública, Ricardo Mandarino, e a delegada-geral da Polícia Civil, Heloísa Brito, estiveram na cidade para se atualizar sobre a investigação.

O agricultor morto havia denunciado investigados na Operação Faroeste, que apura o envolvimento de membros do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) num suposto esquema de venda de sentenças, formação de quadrilha, grilagens de terra na região.

O delegado Rivaldo Luz, titular da 11ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin/Barreiras), explicou que imagens de câmeras no bairro de Bandeirantes, onde aconteceu o crime, estão sendo analisadas pela polícia. Nove testemunhas já foram ouvidas. "A apuração está avançada", afirma.

(Foto: Alberto Maraux/SSP)

O secretário diz que as equipes estão totalmente dedicadas na tarefa de desvendar o caso.  "Estamos aqui em Barreiras para dar apoio aos nossos policiais e para a população da região Oeste saber que vamos atuar com celeridade", afirma.

Até agora, ninguém foi preso pelo crime.

Morte
O crime aconteceu em Barreiras, na última sexta-feira (11). De acordo com a Polícia Civil, a vítima estava dirigindo seu carro quando foi atingida por disparos de arma de fogo. Ainda segundo a PC, familiares foram ouvidos, imagens de câmeras de vigilância foram requisitadas. 

Grendene era natural de Nova Londrina, no Paraná. Seu corpo foi levado para o sepultamento que aconteceu no último domingo (13), em sua terra natal. A autoria e a motivação ainda estão indefinidas.

Em contato com a delegacia, o CORREIO conseguiu apurar que as investigações ainda estão em fase preliminar. Os policiais realizaram diligências para tentar localizar os suspeitos, que estavam encapuzados num Fiat Uno.

A vítima levou tiros de uma espingarda 12 mm e pistola calibre 9 mm. De acordo com uma fonte da delegacia, foi um crime premeditado e feito por profissionais.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas