Documento comprova pedido de prisão contra ex-secretário de Segurança

satélite
05.08.2021, 10:05:00
Atualizado: 05.08.2021, 10:05:40

Documento comprova pedido de prisão contra ex-secretário de Segurança

Por Jairo Costa Júnior

Documento obtido pela Satélite confirma o pedido de prisão preventiva do ex-secretário de Segurança Pública Maurício Barbosa, solicitada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) ao relator da Operação Faroeste no Superior Tribunal de Justiça, ministro Og Fernandes. O requerimento consta no trecho sigiloso de cem páginas anexado à denúncia oferecida mês passado pela PGR contra Barbosa e mais 15 acusados de envolvimento na rede de grilagem e venda de sentenças no Tribunal de Justiça da Bahia (TJ), conforme antecipado pela coluna na edição do último dia 19. No documento, a PGR reforça a tese de que o ex-chefe da SSP usava o cargo para proteger integrantes do esquema.

Aperto alternativo
No mesmo anexo, a PGR requer ainda que o STJ imponha medidas cautelares diversas da prisão à promotora Ediene Lousado, que comandou o Ministério Público do Estado de 2016 a 2020, e à delegada Gabriela Caldas, que foi chefe de gabinete de Barbosa na SSP. Ambas também foram denunciadas por suspeita de participação na blindagem a alvos da Faroeste. 

Pompa e circustância
Entre os novos indícios apresentados contra Maurício Barbosa pela Faroeste, constam três notas fiscais apreendidas durante busca e apreensão na casa do ex-secretárioem um condomínio de alto padrão na Costa do Sauípe, cujo teor, segundo a PGR, aponta possível manobra de lavagem de dinheiro. As notas se referem à compra de bens de luxo que totalizam R$ 218 mil em aproximadamente três meses. A primeira é relativa à aquisição de um jet sky em 11 de junho do ano passado, por R$ 83 mil. As demais - 3 de julho e 17 de setembro - têm origem na compra de dois quadriciclos por R$ 65 mil e R$ 70 mil.

Cheiro de pólvora
Um grupo de mais de 200 fazendeiros do Sul da Bahia pressiona a Funai para que o órgão libere a indenização pelos quase 55 mil hectares que deram origem à Terra Indígena Caramuru-Paraguaçu, encravada nos municípios de Pau Brasil, Itaju do Colônia e Camacan e palco de violentos conflitos que duraram décadas. Nove anós após o Supremo promulgar a vitória dos pataxós hã hã hães na briga pela área, a maior parte dos fazendeiros não recebeu o repasse pela perda das propriedades e decidiu endurecer a cobrança, com promessas de reaver as terras na marra.

Vara de pescar
Na corrida para cooptar quadros da base aliada ao governo do estado antes de ingressar no PSL, o deputado federal Elmar Nascimento (DEM) colocou a mira sobre o deputado estadual Dal (PP), que planeja disputar vaga na Câmara em 2022, mas tem menor poder de fogo em relação aos outros quatro parlamentares federais pepistas: Cacá Leão, Mario Negromonte Júnior, Ronaldo Carletto e Cláudio Cajado. O argumento é o de que, ao seu lado, Dal teria maiores chances de se eleger.

Maré de azar
A péssima fase enfrentada pelo Bahia empurrou o presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, para fora do páreo por uma vaga na chapa majoritária da oposição. Para voltar, só um milagre.    


Bolsonaro foi eleito também pelo fato de seus opositores subestimarem sua campanha. Eu vivi isso! Ele pode dar um golpe justamente porque continuam sendo subestimado. Eu não quero viver isso! Dayane Pimentel, deputada federal pelo PSL da Bahia e ex-aliada do presidente da República 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas