Dose de alívio: vacinação infantil nas escolas tranquiliza pais para o retorno às aulas

salvador
19.02.2022, 05:00:00
(Arisson Marinho/ CORREIO)

Dose de alívio: vacinação infantil nas escolas tranquiliza pais para o retorno às aulas

Crianças e adolescentes entre 5 e 17 anos puderam receber o imunizante nas instituições de ensino

A ansiedade está dando lugar à confiança. É o que garante o vigilante Rodilson Santos, 48 anos, ao ver os seus dois filhos sendo vacinados contra a covid-19, na escola em que estudam. “Estava ansioso, mas agora a gente fica confiante em saber que os nossos filhos estão protegidos e sendo vacinados. É muito bom e importante que essa campanha esteja sendo feita nas escolas”, comemorou ele, nessa sexta-feira (18), quando a prefeitura de Salvador deu início à aplicação da primeira dose nas unidades de ensino da rede municipal.

Ronald, de 7 anos, e Renan, de 5 anos, já estavam ouvindo do pai o quanto a vacina seria importante para que eles estivessem protegidos e, assim, pudessem retornar à rotina. Por isso, de acordo com Rodilson, eles foram corajosos na hora de se imunizarem. 

Os meninos foram vacinados na Escola Municipal Nova do Bairro da Paz, onde são estudantes do terceiro e do primeiro ano, respectivamente. Eles ainda não estavam frequentando as aulas antes da vacinação. O período em casa foi estressante para eles, mas agora Rodilson já sente mais segurança na permanência deles fora de casa. 

A campanha a qual Rodilson se referiu foi a 6ª edição do Dia da Criança é Dia de Vacina, que contou com 30 postos em toda a cidade. Nas instituições de ensino, a ação aconteceu no Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Mario Altenfelder, no bairro do Lobato, e na Escola Municipal Nova do Bairro da Paz. O alvo são crianças e adolescentes com idade entre 5 e 17 anos, residentes na cidade. O objetivo é garantir a 1ª dose dos pequeninos ainda não imunizados na capital baiana. 

Cerca de 3,2 mil crianças e adolescentes receberam a primeira dose em duas unidades de ensino da capital (Foto: Arisson Marinho/ CORREIO)

A filha da dona de casa Ana Paula Conceição, 43, também foi vacinada na sexta, na Escola Municipal Nova do Bairro da Paz. Ayla Kely tem 8 anos, estuda na instituição de ensino e está na terceira série. 

Sua mãe conta que estava ansiosa para finalmente ver a filha protegida. Assim como ela, Ayla não via a hora de receber o imunizante.

“Eu gostei, viu! Porque isso previne a saúde dela. Ela estava muito ansiosa, doida para ser vacinada. Queria ir pra escola, ver os amigos”, disse Ana.

Ana Paula faz questão de pontuar que sua filha “é uma menina muito corajosa”, destaca, em referência a como Ayla encarou a aplicação da vacina. Sua mãe ainda afirmou que “em momento nenhum ela chorou, muito pelo contrário, ainda fez brincadeiras e até disse que foi legal”, completa.

Ayla brincou e fez pose para a foto. O motivo foi sua alegria em voltar para a escola, depois de um longo período dentro de casa. Há apenas 15 dias desde o seu retorno, Ana aponta a importância de sua filha agora frequentar as aulas vacinada. “Fico muito mais tranquila sabendo que ela tem menos chance de se contaminar”, conta.

Renan e Raissa, de 7 anos, também estavam contando para se vacinarem e poderem retornar às aulas. Mãe dos dois, a diarista Eliana de Jesus, de 45 anos, confessa ainda estar preocupada com o retorno à rotina fora de casa. 

Parques, praias e shoppings ainda não estão na lista de prioridades, mas a escola é algo que as crianças desejavam muito, e a vacina é o que a tranquiliza para o retorno delas ao espaço. “Eles estavam afoitos, esperando a vacina para voltarem à escola. Foi ruim para eles ficarem longe dos amigos. Em casa, reclamam muito por causa disso. A escola é importante demais, e a vacina foi a forma de garantir que eles voltassem”, disse Eliana.

De acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), que podem ser consultados através do portal www.vacinometro.saude.salvador.ba.gov.br, foram vacinados com a primeira dose na sexta-feira 3.205 crianças e adolescentes com idade entre 5 e 17 anos.

*Com orientação da subeditora Fernanda Varela 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas