Duas pessoas morrem em protestos contra impeachment na Coreia do Sul

mundo
10.03.2017, 07:49:00
Atualizado: 10.03.2017, 07:52:04

Duas pessoas morrem em protestos contra impeachment na Coreia do Sul

Atos tomaram conta de Seul após afastamento definitivo da presidente Park Geun-hye do poder, nesta sexta-feira (10)

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Ao menos duas pessoas morreram nos atos que tomaram conta de Seul após o afastamento definitivo da presidente Park Geun-hye do poder nesta sexta-feira, 10, segundo autoridades sul-coreanas.

Um homem de cerca de 70 anos, que se acredita ser um defensor de Park Geun-hye, caiu de um ônibus em frente ao Tribunal Constitucional, onde ocorreu o julgamento da ex-presidente. Ele teve ferimentos na cabeça e foi levado a um hospital, onde morreu por volta de 13h50 (hora local, 1h50 de Brasília).

Desde dezembro de 2016, manifestantes pedem renúncia da presidente Park Geun-hye, investigada pela Justiça (Foto: Agência Efe)

A polícia confirmou uma segunda morte, mas não deu detalhes da vítima.

Milhares de apoiadores de Park Geun-hye reagiram com fúria ao veredicto do tribunal, que determinou o afastamento definitivo da primeira mulher a ser eleita presidente do país em meio a uma trama de corrupção envolvendo uma amiga pessoal dela.

Munidos de bandeiras do país, os manifestantes gritaram e jogaram objetos nos policiais que cuidavam da segurança do Tribunal Constitucional. Ao menos 21 mil policiais estão nas ruas de Seul para evitar mais violência nos protestos.

O Partido Coreia Liberdade, de Park, disse "aceitar humildemente" a decisão do Tribunal e afirmou que se sentia responsável pela sua queda.


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas