Dupla que matou jovem após retirá-lo de ônibus estudou com a vítima, diz SSP

salvador
12.03.2019, 13:11:00

Dupla que matou jovem após retirá-lo de ônibus estudou com a vítima, diz SSP

Suspeitos de torturar e executar Jonas Ribeiro Neto estão no Baralho do Crime

Estudante foi torturado e morto (Foto: Reprodução)

Dois suspeitos de torturar e executar o adolescente Jonas Ribeiro dos Santos Neto, 17 anos, após retirá-lo de um ônibus no final de linha do bairro de São Cristóvão, em Salvador, em dezembro do ano passado, entraram na lista de criminosos mais procurados da Bahia, de acordo com a Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA). 

A pasta divulgou nesta terça-feira (12) que três homicidas e um traficante, entre eles Jordson Miranda Ramos dos Santos, o Medusa, e Caio Machado Regis dos Santos, passam a integrar o Baralho do Crime. Os novos Nove e o Seis de Ouros, respectivamente, Jordson e Caio já haviam estudado na mesma escola que Jonas e, segundo a polícia, o reconheceram como morador da região do Planeta dos Macacos. 

Um familiar do adolescente, que preferiu não se identificar, informou à reportagem, no entanto, que apenas Caio estudou na mesma instituição que a vítima. Segundo o parente, a identificação dos suspeitos e a informação de que passariam a integrar o baralho do crime, já era de conhecimento dos pais de Jonas. 

"A polícia sempre mantém eles informados das operações que acontecem lá na região. O pai de Jonas faz questão de acompanhar todos os passos e a polícia tem demonstrado empenho na investigação. Eles (os pais) estão confiantes, acreditam que o baralho vai ajudar a encontrar eles", informou.

Ainda de acordo com o homem, a família de Jonas se sente segura no Planeta dos Macacos, onde mora há mais de 25 anos. "O fato de serem muito conhecidos lá, dá mais segurança a eles. Claro que, se pudessem, sairiam, mas eles não pretendem se mudar por agora", acrescentou.

Pedreiro, o pai de Jonas voltou a trabalhar recentemente e, segundo o familiar, acredita na versão das investigações da Polícia Civil, que indicam que o jovem foi morto ao ser reconhecido como morador de outra localidade.

"É muito comum para quem mora em lugares periféricos, especialmente para os homens. Infelizmente isso aconteceu com Jonas e acontece muito em outros lugares de Salvador".

O caso
Em janeiro, quando o corpo de Jonas foi encontrado no porta-malas de um carro, um familiar do jovem, que preferiu não se identificar, afirmou que o corpo de Jonas estava sem dois dedos do pé esquerdo, o que aumentou os indícios de que membros da facção criminosa Bonde do Maluco (BDM) seriam os responsáveis por torturar e matar o estudante, já que o lema do grupo é "tudo três".

Moradores da região onde o crime ocorreu também confirmaram que a organização criminosa seria responsável pela tortura e morte de Jonas. O corpo da vítima foi encontrado na manhã do dia 5 de janeiro, no porta-malas de um Fiat Palio branco, a um quarteirão da casa da família, com mãos e pés amarrados, além de um saco na cabeça.

A polícia já havia informado a suspeita do envolvimento de um grupo criminoso no assassinato - sem citar, no entanto, qual seria a facção. O corpo do adolescente foi sepultado no dia 8 de janeiro, no Cemitério Municipal de Itapuã. 

Medusa e Caio (mais acima) são suspeitos de matar estudante e são procurados (Foto: Divulgação/SSP)

Novas cartas
Segundo a SSP, Jordson substitui Ânderson Vieira Nunes dos Santos, o Baê, e Caio entra no lugar de Thiago Adílio da Silva, o Coruja, preso em dezembro. 

Jadson Sousa da Silva, o Jau, também procurado por homicídio e com atuação no bairro de Jardim Santo Inácio e região, foi adicionado ao baralho como Dez de Copas, no lugar de Luís Eduardo Santos Ribeiro, o Chapão. 

Rafael Almeida de Jesus, o Rafinha, com mandado de prisão em aberto por tráfico de drogas, acusado por porte ilegal de arma e investigado por homicídio, vai agora ilustrar a carta Oito de Paus. Depois de deixar a prisão provisoriamente, voltou ao crime na região de Jardim das Margaridas. 

Quem quiser colaborar com o trabalho policial, na busca e captura destes criminosos, pode, sem precisar se identificar, se comunicar com o Disque-Denúncia (3235-0000 ou 181) ou através do site.


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas