Ednaldo Muniz, do Bando de Teatro Olodum, lança livro de poesias

correio afro
04.05.2022, 05:00:00
(Foto: Divulgação)

Ednaldo Muniz, do Bando de Teatro Olodum, lança livro de poesias

Obra reúne 70 poemas escritos por Ednaldo Muniz ao longo da vida

O ator e músico Ednaldo Muniz, que completou 30 anos de carreira junto ao Bando de Teatro Olodum, fará sua estreia na literatura. Num sábado, 7 de maio, às 17h, será o lançamento do livro de poesias Se7e Passos de Ameixa (Editora Reaja), que reúne 70 poemas escritos por Ednaldo Muniz ao longo da vida. 

O amor, a valorização da vida, a religiosidade negra, a força das mulheres e a denúncia do preconceito racial inspiram os versos do poeta, que nasceu em Salvador e circulou por diversos lugares por meio da arte. 

“Eu sempre escrevia de forma livre, sem pretensões e mostrava apenas para pessoas muito próximas. Até que alguém me disse que eu estava sendo egoísta em não compartilhar minhas poesias. Daí resolvi publicar”, explica Ednaldo Muniz.   

Capa do livro Se7e Passos de Ameixa (Foto: Divulgação)

O poeta explica que o período pandêmico tornou ainda mais urgente a necessidade de escrever e circular poesia. “A pandemia demonstrou a importância de um abraço, de uma mensagem de carinho e a dificuldade que muitas vezes temos de demonstrar nossos sentimentos. Tento, com a minha poesia, alcançar esse lugar do afeto”.

O ator e diretor Lázaro Ramos, que integrou o Bando de Teatro Olodum e dividiu o palco com Ednaldo Muniz em espetáculos como Ó paí, ó e Sonho de Uma Noite de Verão, entre outras, escreveu no posfácio da obra sobre a importância de um homem negro escrever sobre seus sentimentos.  

“Abrir o coração para falar de coisas tão emocionais como as poesias de Ednaldo é algo raro principalmente para um homem negro, que muitas vezes guarda, silencia suas dúvidas, dores, alegrias e amores, na dureza que a vida às vezes nos impõe”, disse Lázaro. 
 
Já o prefácio de Se7e Passos de Ameixa foi escrito pela diretora e dramaturga Onisajé, que dirigiu o Bando de Teatro Olodum no espetáculo Erê, em 2015. Para a artista, o livro de Ednaldo Muniz é “um presente ofertado por meio do afeto, do sentimento das negras memórias e emoções”.

Onisajé celebra a referência do número sete e da fruta ameixa no título da obra:   
“São sete passos de ameixa e eu diria sete passos de negro amor, sete passos de afronta, resistência e poder. No Candomblé sete é número de fundamento, de aláfia, de confirmação. Para quem não sabe, o período para se alcançar a senioridade no axé são três ciclos de sete anos. (...) Sete passos de ameixa, tem a negrura e a suculência desse fruto saboroso, úmido e erótico. O poeta evoca sua fé, nos mostra suas inquietações. A cada verso amplifica as vozes que disparam os seus desejos”.

O autor explica que Se7e Passos de Ameixa é um livro dedicado às velhas senhoras griôs, que trazem a resistência e a sabedoria na memória marcada na pele preta enrugadas, que remete à imagem de uma ameixa. Sete é o número associado ao itan (mito) de Ogum, orixá da tecnologia, das guerras e da abertura dos caminhos e é a entidade que rege a religiosidade de Ednaldo Muniz.

“Neste livro rendo homenagem às mulheres, especialmente minhas mães, a biológica e a de santo, e às minhas sete irmãs, que representam essas mulheres guerreiras, que sobrevivem em uma luta constante neste país, tão violento com as mulheres”, ressalta Ednaldo Muniz.

O lançamento acnotece na Escola Winnie Mandela, Ladeira de Nanã, n.7, no Engenho Velho de Brotas. O lançamento contará com apresentações poéticas de artistas convidados. 

O preço promocional de lançamento é de R$35,00 (trinta e cinco reais). Interessados, inclusive de outros estados, podem realizar a pré-compra diretamente com o escritor pelo WhatsApp: (71) 987055491 ou direct no Instagram @ednaldomuniz.j.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas