Educação no Brasil precisa passar por uma revolução, diz empreendedor

agenda bahia
09.11.2016, 16:42:00
Atualizado: 03.11.2017, 22:55:14

Educação no Brasil precisa passar por uma revolução, diz empreendedor

Palestrante no Fórum Agenda Bahia lembrou que faltam políticas públicas para os jovens que deixam a escola

Dizer que a educação é a única – ou a melhor – saída para os problemas da humanidade já virou lugar-comum. Não está errado; pelo contrário. Mas como será mesmo a escola que é capaz de transformar a sociedade e até de tornar o país mais competitivo?

Certamente, não é a escola que conhecemos hoje. Pelo menos é o que defende o empreendedor social Marcel Fukayama, cofundador do Sistema B Brasil e da Din4mo, uma empresa que busca fortalecer empreendedores sociais. “Uma educação que tem um ambiente do século XIX, um professor do século XX e um jovem do século XXI não vai funcionar. A escola não tem mais relevância para o jovem hoje.

Marcel Fukayama começou a empreender aos 17 anos (Foto: Evandro Veiga / CORREIO)

"Precisamos revolucionar a educação”, afirmou Fukayama durante sua palestra no Fórum Agenda Bahia. Para Fukayama, não existem sequer políticas públicas que consigam atingir os jovens que deixam a escola – hoje, cerca de 1,5 milhão de jovens estão fora do ensino médio. “O professor é o principal agente de transformação na educação e hoje ele não se sente valorizado, não tem instrumentos, se sente perdido e se sente excluído da própria discussão entre os jovens”, pontuou.

O problema é que, segundo ele, o Brasil tem ido na contramão do resto do mundo. Um dos caminhos, para ele, é promover uma discussão complexa e profunda sobre a educação básica no país. E isso vai muito além da polêmica reforma do ensino médio, proposta pelo governo federal em setembro, através da Medida Provisória 746/2016.

Só que, ao mesmo tempo, a discussão também precisa observar as individualidades dos jovens. Segundo Fukayama, um terço dos jovens com idades entre 15 e 29 anos que vivem na Grande São Paulo (a Região Metropolitana Paulista) está desempregado. Fukayama, aos 17 anos, começou a empreender quando, no início da década de 2000, fundou uma das primeiras lan houses de São Paulo.


Relacionadas
Correio.play
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/harmonia-recebe-ludmilla-e-ferrugem-em-gravacao-de-dvd-no-wetn-wild/
Gravação acontece na estreia d'A Melhor Segunda Feira do Mundo, no dia 6 de janeiro
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/rapper-juice-wrld-morre-aos-21-anos-nos-estados-unidos/
Ele sofreu convulsão no aeroporto; artistas lamentam
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/fotografa-faz-ensaios-para-negros-a-preco-acessivel-no-reconcavo/
Ellen Katarine também é trancista, dreadmaker e estudante de História na UFRB
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/thiaguinho-chora-ao-cantar-musica-que-escreveu-para-fernanda-souza-veja/
Cantor começou a se emocionar durante a canção 'Deixa Tudo Como Está'
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/dancarino-morre-e-outras-duas-pessoas-ficam-feridas-em-ataque-de-faccao/
Três homens e uma mulher em um carro atiraram contra moradores em São João do Cabrito
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/jovem-se-finge-de-gato-e-mia-embaixo-da-cama-para-nao-ser-achado-por-policiais/
Ele é suspeito de ter participado de um latrocínio em Fortaleza
Ler Mais