Em NY, ministro da Saúde Marcelo Queiroga testa positivo para covid-19

brasil
21.09.2021, 21:56:00
Atualizado: 21.09.2021, 22:27:05
(Divulgação/Walterson Rosa/MS)

Em NY, ministro da Saúde Marcelo Queiroga testa positivo para covid-19

Ministro é o segundo caso confirmado da comitiva de Bolsonaro nos Estados Unidos

Em NY, onde integra a comissão brasileiro na Assembleia-Geral das Nações Unidas (ONU), o ministro da Saúde Marcelo Queiroga está contaminado com o coronavírus. A informação foi divulgada pelo colunista Guilherme Amado, do Metrópoles, e confirmada pela CNN. O ministro informou à emissora que está bem.

Ministro acompanhou encontro de Bolsonaro com o premiê britânico Boris Johnson (foto: Alan Santos/PR)

Queiroga esteve nesta terça-feira na Assembleia-Geral, mas informou que esteve de máscara durante todo o tempo.  Ele também esteve ao lado do presidente e outros membros da comitiva na visita ao Museu e Memorial do 11 de Setembro, nesta terça. Ele também esteve presente no encontro com o premiê britânico Boris Johnson, na segunda (20). Nas duas ocasiões, ele também usou máscara. No entanto, ele acompanhou o presidente Bolsonaro na maioria dos eventos nos Estados Unidos, incluindo nas refeições, quando precisa retirar a máscara.

Ministro da Saúde esteve ao lado do presidente nas refeições, ocasiões em que a máscara precisou ser retirada (foto: reprodução)

Leia mais: Em NY, ministro da Saúde responde a manifestantes anti-Bolsonaro com gesto obsceno

Leia também: Bolsonaro defende 'tratamento precoce' e ataca lockdown em discurso na ONU

Após a confirmação da contaminação, a pessoa deve ser isolada e ficará 14 dias em quarentena antes de voltar ao Brasil. Por isso, Queiroga não embarcou de volta com a comitiva presidencial, que já viaja em retorno para o Brasil. 

Os funcionários da delegação brasileira que seguem em NY entrarão em isolamento nos próximos dias e não acompanharão presencialmente os debates do evento, que seguem nesta quarta (22).  Além disso, segundo a CNN, o Itamaraty decidiu suspender a presença de todos os diplomatas brasileiros de todas as reuniões que ocorreriam na ONU até sexta-feira.

No último sábado (18), um primeiro caso na comitiva brasileira foi confirmado. De acordo com o Itamaraty, o funcionário, que trabalha no cerimonial da Presidência, tinha saído do Brasil há cerca de dez dias para ajudar a planejar a logística da viagem. Ele se sentiu mal na última sexta-feira (17) e teve o diagnóstico de covid confirmado no dia seguinte, véspera da chegada do presidente Bolsonaro aos EUA. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas