Empresário morre atropelado enquanto pedalava na Avenida Garibaldi

salvador
20.04.2019, 14:13:00
Atualizado: 21.04.2019, 11:07:52

Empresário morre atropelado enquanto pedalava na Avenida Garibaldi

Ele morava em Feira de Santana, mas veio para Salvador por que a filha passou no vestibular

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O empresário Alberto Ribeiro dos Santos, 57 anos, morreu após ter sido atropelado na noite desta sexta-feira (19), na Avenida Garibaldi. Ele andava de bicicleta quando foi atingido por um veículo de dados não informados. 

Natural da cidade de Cansanção, região nordeste do estado, Alberto foi socorrido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ao Hospital Geral do Estado. Ele veio à óbito por volta das 18h30. 

Alberto morava em Feira de Santana e veio para Salvador por que a filha pasou no vestibular (Foto: Reprodução)

Alberto atuava no ramo de cereais em São Paulo e em Feira de Santana, onde morou. Há pouco tempo, ele se mudou com a família para Salvador, onde vivia temporariamente num apartamento alugado em Patamares até a conclusão da obra da futura moradia, um apartamento num condomínio em Pituaçu. 

“Ele veio para cá porque a filha passou em medicina numa faculdade particular”, contou o também empresário Marcelo Assis, 42, amigo de Alberto, uma das pessoas que esteve na manhã deste sábado no Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IMLNR). O corpo de Alberto será sepultado em Feira de Santana. 

De acordo com Marcelo, Alberto cogitou a possibilidade de ir para Feira de Santana, onde a família estava, na casa de parentes, mas adiou a ida para acompanhar a obra do apartamento. “Por volta das 15h, ele fez uma selfie ainda dentro do apartamento e enviou para o irmão”, contou. 

Por volta das 18h35, o óbito de Alberto foi registrado no HGE. “Não sabemos as circunstâncias da morte. A única coisa que sabemos é que consta lá que o Samu registrou a morte dele como ‘atropelamento/bicicleta’”, relatou Marcelo. 

Segundo o amigo, o acidente aconteceu nas imediações do IMLNR, na Avenida Garibaldi. Alguns pertencentes dele foram encontrados no HGE. 

O CORREIO manteve contato com a Polícia Civil e aguarda informações sobre a ocorrência possivelmente registrada na 1ª Delegacia (Barris), unidade que atende a área onde aconteceu o acidente.  

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas