Enchente no RJ inunca ONG que abriga 120 animais para a adoção

em alta
02.03.2020, 16:04:19
Atualizado: 02.03.2020, 16:11:56

Enchente no RJ inunca ONG que abriga 120 animais para a adoção

Fotos dos bichinhos tentando fugir viralizaram

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Foto: Divulgação

A sede de uma ONG que abriga 120 animais foi mais uma vítima do grande volume de chuvas que tem atingido a região metropolitana do Rio De Janeiro. Por conta dos aguaceiros, a Focinhos de Luz, em Sepetiba (zona oeste do Rio), foi totalmente alagada.

Os 120 bichinhos ficaram ilhados e as fotos de cães e gatos tentando escapar do alagamento viralizaram nas redes sociais. A ONG vem fazendo uma campanha pedindo ajuda, sobretudo por meio de lares temporários para retirar os animais do local.

Clique nas fotos para ampliar:

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

"Nossos gatis e canis foram muito afetados e estão completamente alagados, o que coloca os animais em risco", afirmou a ONG em seu perfil no Instagram. 

Chuvas
A zona oeste concentrou as áreas mais atingidas pela chuva na capital, segundo o COR (Centro de Operações Rio). Os maiores acúmulos de água desde o final de semana ocorreram nos bairros de Santa Cruz (200,8 mm) e Bangu (183,2 mm), ambos na região. Das três mortes confirmadas na cidade do Rio por conta das chuvas, duas ocorreram na zona oeste: uma mulher de 75 anos morreu eletrocutada na Taquara, enquanto um homem morreu no desabamento de um imóvel no Tanque. A terceira vítima morreu na comunidade de Acari, na zona norte. Há ainda mais uma morte confirmada no município de Mesquita, na Baixada Fluminense. 

A capital fluminense entrou em estágio de alerta à 0h20 de ontem. O estágio de alerta é o quarto nível em uma escala de cinco e significa que uma ou mais ocorrências graves impactam a cidade. 

A Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil da cidade do Rio recebeu desde a noite de sábado 349 chamados, sendo os principais por desabamento de estrutura (121), deslizamento de barreiras e encostas (79), ameaça de desabamento de estrutura (63) e imóveis com rachadura e infiltração (31). Os bairros mais afetados são Realengo, Taquara, Campo Grande, Bangu e Deodoro, todos na zona oeste, e Tijuca, na zona norte.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas