Enem vai ser adiado? O que se sabe até agora sobre a realização da prova

em alta
12.01.2021, 07:46:34
Atualizado: 12.01.2021, 07:50:41
(Foto: Divulgação)

Enem vai ser adiado? O que se sabe até agora sobre a realização da prova

Exame terá regras especiais neste ano de pandemia

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A pressão é muito grande para adiar, mais uma vez, a realização das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), marcadas para os dias 17 e 24 deste mês. O assunto tem sido debatido nas redes sociais, com hashtags como "Adia Enem" chegando aos trending topics. Na esfera judicial, ações da Defensoria Pública da União (DPU) e Ministério Público Federal (MPF) também pedem a postergação do exame.

O motivo do alarde é simples: a irresponsabilidade em tirar de casa e provavelmente aglomerar milhões de estudantes, além de prejudicar aqueles que eventualmente sintam-se receosos, no auge da maior pandemia da história do Brasil.

Mesmo com os pedidos e ações, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) se mantém firme na decisão de realizar o Enem, de forma presencial, nos dias 17 e 24 de janeiro. O órgão ligado ao Ministério da Educação (MEC) garante ter condições de realizar os exames de forma segura para os estudantes e trabalhadores ligados à aplicação.

“Nós nos preparamos para fazer uma prova em ambiente de pandemia”, afirmou Alexandre Lopes, presidente do Inep, em entrevista à Agência Brasil. “Temos a segurança [de] que a prova deve ser feita e que as condições de aplicação são adequadas, são as que precisam ser tomadas."

Desta forma, só uma decisão jurídica poderia impedir as provas já neste domingo. Mas o Inep está confiante e garante ter "segurança jurídica". Para isso o órgão, através da Advocacia-Geral da União (AGU), montou uma força-tarefa com pelo menos 75 Procuradores Federais para monitorar os processos judiciais em regime de plantão, 24 horas por dia - inclusive nos fins de semana - até o dia 7 de fevereiro.

Vale lembrar que a prova já foi adiada uma vez. Inicialmente o exame estava marcado para novembro do ano passado.

Como será a prova:
Datas
: 17 e 24 de janeiro na versão impressa e 31 de janeiro e 7 de fevereiro na versão digital. Quem não puder realizar a prova impressa nos dias citados por ter testado positivo para covid-19 ou apresentar sintomas, precisará entrar em contato com o Inep através da Página do Participante e pelo telefone 0800 616161. Esses candidatos terão o direito de participar da reaplicação do Enem em 23 e 24 de fevereiro.

Regras: além dos tradicionais documentos oficiais com foto e caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente, os estudantes terão que incluir outros ítens na lista. 

O primeiro é a máscara de proteção facial, de uso obrigatório durante toda a realização do exame. O protetor deve cobrir integralmente boca e nariz, podendo ser retirado apenas a pedido do aplicador ou para comer e beber.

Outra regra é o distanciamento social. As salas, de acordo com o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), estarão dispostas de forma a assegurar a distância entre os participantes. 

Os portões também serão abertos meia hora mais cedo que o habitual para evitar a formação de aglomerações do lado de fora dos locais de aplicação.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas