Enquanto shih tzus são cobiçados, Salvador tem mais de mil pets para adoção; veja onde

salvador
02.09.2020, 05:15:00
Atualizado: 02.09.2020, 09:47:25
(Nara Gentil/ CORREIO)

Enquanto shih tzus são cobiçados, Salvador tem mais de mil pets para adoção; veja onde

Mais de 800 cachorros e 300 gatos esperam uma família que possa acolhê-los

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Como adotar um dos filhotes da raça shih tzu que foram apreendidos pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) nesse final de semana? Essa é a pergunta que mais chega ao Instituto Patruska desde quando internou parte dos animais para sua recuperação dos maus-tratos sofridos. Só nessa segunda-feira (31), foram mais de 20 mil mensagens enviadas para o celular da ONG, 80% delas sobre a adoção dos filhotes. No entanto, enquanto os shih tzus são cobiçados, Salvador tem mais de mil pets disponíveis para adoção imediata. 

Esses animais domésticos - gatos e cachorros - estão divididos em três institutos: Doce Lar, Abrigo São Francisco de Assis e o próprio Instituto Patruska. O número, no entanto, não leva em conta os diversos protetores independentes que estão espalhados por Salvador. “São pessoas que criam os animais para adoção, mas não têm CNPJ”, explicou Patruska Barreiro, fundadora da ONG que leva seu nome.  

Não há uma estimativa de quantos protetores independentes existem na cidade, o que significa que o número de animais de estimação disponíveis para adoção em toda a capital pode ser bem maior. “Na minha rua, tem uma vizinha que cuida de 70 pets, por exemplo. Mas institutos só são essas três”, garantiu Patruska. Sua ONG tem mais de 200 cachorros e 160 gatos. O Doce Lar tem 348 cachorros e 62 gatos. Já o Abrigo São Francisco de Assis tem 255 cães e 95 gatos (confira ao final como fazer sua doação ou adotar um animal). 

E com tantos animais de estimação disponíveis, por que há essa cobiça tão grande aos filhotes de shih tzu?

“Temos mais de 200 vira-latas há anos esperando doação e, em menos de quatro horas, mais de 500 pessoas querem os bebês que estão à beira da morte. O amor é seletivo? Essa reflexão é para toda sociedade. A gente tenta fazer campanha para conscientizar. O vira-lata é a cara do brasileiro, é a mistura de tudo”, disse Patruska.  

Para o voluntário da casa Doce Lar, Samuel Montalvão, 41 anos, muitas dessas pessoas não são movidas, ainda, por uma paixão verdadeira aos animais. “Quem gosta de animal não faz diferença entre ser de raça ou SRD, o chamado Sem Raça Definida. É quem ainda está descobrindo essa paixão que faz a distinção. Temos que criar na sociedade uma cultura de que os animais tenham direitos e não sejam tratados como um bem, independentemente de sua raça”, disse.  

Vira-latas são a maioria nas instituições que têm animais para adoção (Foto: Nara Gentil/ CORREIO)

Características 
Os shih tzu são cães dóceis e companheiros, originários do Tibete. Sua expectativa de vida varia entre 10 e 16 anos e, quando adultos, não passam de 28 centímetros de altura. Esse tamanho pequeno e aparência fofa, similar ao de um bicho de pelúcia, encarece o valor do animal. Segundo Patruska, o preço de um shih tzu pode variar entre R$ 1,2 mil e R$ 2,5 mil. Ela alerta que, menos do que isso, pode se tratar de animais vítimas de maus-tratos, como eram os apreendidos pela PRF.  

“A gente é contra a venda exploratória, pois ela alimenta essa crueldade. As pessoas que compram baratinho podem financiar o crime. Ela vai adquirir um animal que conseguiu sobreviver para tantos outros que morreram no caminho por causa dos maus-tratos. Se você quer comprar um animal de raça, busque um criador responsável, não vá em petshop, conheça os pais, vá até o local onde eles vivem, veja como eles estão sendo cuidados”, aconselhou. 

Nesses abrigos, também é possível encontrar animais de raça, embora os vira-latas ou SRD sejam a imensa maioria. “Dos mais de 250 cachorros, hoje só temos quatro de raça, que chegam doentes, abandonados pela família. Mas a maioria é o de imagem típica do vira-lata, que sofre preconceito. Nós temos muito cuidado com a adoção movida pela beleza, pois ele precisa de alguém que o ame”, disse a responsável pela comunicação do abrigo São Francisco de Assis, Fernanda Sousa.  

Para adotar, todos possuem um procedimento semelhante: entrevista, análise do perfil e da necessidade perfil da família, além da capacidade financeira para cuidar dos bichinhos. “Se eles querem um animal tranquilo, um filhote não é uma boa opção, por exemplo, por ser mais ativo”, explicou Fernanda. Durante a pandemia, as entrevistas são realizadas por videochamadas e com todos os membros da casa. Depois da adoção, há ainda o acompanhamento da ONG. 

“É importante que as pessoas tenham consciência de que os pets precisam de cuidado, de acesso à saúde, que eles vão durar de 10 a 20 anos. A família tem que estar preparada para enfrentar a velhice do animal. Ele vai fazer parte do grupo e não pode ser deixado para trás", explicou Samuel Montalvão. Tudo isso é para evitar que os animais adotados sejam devolvidos ou abandonados novamente. Todas as instituições disseram ter uma baixa taxa de devolução, em torno de 5%.  

Para manter um animal de estimação, o custo varia a depender do seu porte e da raça, que requer cuidados específicos. Quanto maior o porte, maiores os custos. “No caso do shih tzu, o quilo da ração é em torno de R$ 60. A consulta com veterinários sai por R$ 200. Há o vermífugo por mês, que é R$ 40. Fora o tapete higiênico, brinquedos, banho, vacinação... Tem cachorro que chega a custar mais de R$ 1.000 por mês, e outros, R$ 100”, disse Barreiro.  

Todas as instituições precisam de ajudas financeiras e materiais para realizar seu trabalho. Você pode adotar um pet ou ajudar entrando em contato com eles. A localização do abrigo não é divulgada, para evitar abandono de animais na porta da instituição. Confira os contatos:  

Instituto Patruska 
Animais disponíveis: 200 cachorros e 160 gatos 
Contato para ajuda ou adoção: Instagram @institutopatruska ou pelo telefone (71) 99933-1450.    

Doce Lar:  
Animais disponíveis: 348 cachorros e 62 gatos.  
Contato para ajuda ou adoção: Instagram @docelar10 ou pelo telefone (71) 99928-2889 

Abrigo São Francisco de Assis:  
Animais disponíveis: 255 cachorros e 95 gatos. 
Contato para ajuda: 
Instagram: @abpabahia, facebook: /abpa.bahia e site 
Contato para adoção:
Cão: adote@abpabahia.org.br 
Gato: felinos@abpabahia.org.br 

* Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas