Entenda como funcionam as modalidades de cota oferecidas pela Ufba

bahia
11.06.2020, 05:30:00
Estudantes aprovados farão uma pré-matrícula online para garantir a vaga (Foto: Divulgação/Ufba)

Entenda como funcionam as modalidades de cota oferecidas pela Ufba

Universidade baiana abriu mais de 1.500 vagas no Sisu para o segundo semestre

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Falando em bom baianês, os dias de navegação no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) são barril. Nota de corte que oscila, tensão para saber se vai passar ou não na universidade que tanto se sonha... Ufa! É uma dificuldade. E os estudantes que estão amparados pela Lei 12.711/2012, a das ações afirmativas, ainda podem esbarrar em uma dificuldade extra: as várias modalidades de cotas que aparecem no sistema.

É preciso ficar atento porque um erro na hora de marcar a sua cota pode custar a vaga. A Ufba oferece seis tipos de ações afirmativas, identificadas no Sisu como L1, L2, L5, L6, L10 e L14. Cada uma faz referência a uma cota diferente, por assim dizer. Todas elas são destinadas a quem estudou em colégios públicos. Isso quer dizer que mesmo se você for negro, pardo, indígena ou tiver renda familiar inferior a 1,5 salário mínimo, mas estudou em colégios privados durante o ensino médio, não tem direito a concorrer por cota.

O CORREIO elaborou uma legenda bem completinha para você não se perder por aí. Está lá no final desta matéria.

A possibilidade de ingressar na universidade gera muita tensão a Davi Monteiro. O estudante tentou ingressar no curso de medicina, um dos mais desejados, no início do ano e não conseguiu a vaga. Tentará novamente dessa vez.

"Essa semana não consegui estudar direito pensando que o Sisu já é na semana que vem. A cabeça não para de pensar nisso", conta.

Com direito a cotas, o estudante conta que o primeiro contato com a quantidade de modalidades de ações afirmativas oferecidas assustou inicialmente, mas, para Davi, o Sisu e a Ufba deixam tudo bem explicado e ele conseguiu entender as legendas com tranquilidade.

O nervosismo pela proximidade do Sisu 2020.2 está tirando a concentração de Davi (Foto: Acervo Pessoal)

Pró-reitor de Ensino de Gradução da Ufba, Penildon Silva Filho alerta para que os estudantes fiquem atentos na hora de marcar por onde irão concorrer no Sisu e diz que não são raros os casos de alunos que perdem a vaga por vacilos de marcar opções de cota por engano, quando não se tem o direito de concorrer por lá.

O gestor também afirma que os aprovados no Sisu 2020.2 farão, posteriormente, uma pré-matrícula online para que garantam a vaga. Será uma novidade na Ufba, que normalmente fazia esse processo de 'triagem' de maneira presencial. A medida foi tomada por conta da pandemia do coronavírus.

Os candidatos que optarem pelas cotas de renda precisam saber que desde o primeiro semestre deste ano, a Ufba passou a adotar somente o CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais, instrumento do Governo Federal que identifica e caracteriza as famílias de baixa renda) para a análise de renda. 

Com isso, não será mais necessária a entrega do conjunto de documentos comprobatórios de renda do candidato exigidos em anos anteriores, apenas será necessário o CadÚnico. Os candidatos que não possuírem esse cadastro não poderão se inscrever no Sisu utilizando as modalidades de cotas por renda per capita.

Os cursos de Engenharia Civil e Medicina são os que têm mais vagas disponíveis. O primeiro com 72s: metade de ampla concorrência e os outros 50% destinados a alunos cotistas. Já o curso de Medicina dispõe de 64 vagas, igualmente divididas entre cotas e ampla concorrência.

Pedro Vergasta, 18, não tem direito a cotas, mas também sonha em ser médico. Ele não conseguiu a vaga no primeiro semestre e vai para mais uma tentativa nesta segunda abertura do Sisu. Recém-formado no Ensino Médio, ele confessa que não está tão confiante e que vai tentar o Sisu para observar as mudanças em relação ao primeiro semestre.

Pedro conta que observou uma redução na nota de corte entre os semestres nos últimos anos e vai fazer um monitoramento mais atento agora. E, quem sabe, conseguir uma vaguinha na Ufba.

"Também estou me preparando pra o Enem do ano que vem. Entrei no cursinho neste ano, fazendo uma preparação legal e agora diminuiu um pouco a intensidade porque em casa fica meio diferente o estudo, mas sigo me preparando, assisto aula e resolvo provas de anos anteriores", conta.

Pedro está fazendo cursinho pré-vestibular, mas vai tentar o ingresso na Ufba ainda neste ano (Foto: Acervo Pessoal)

Com a mesma idade de Pedro e desejo de entrar no mesmo curso, Maria Vitória Rolim conta que essa época de 'limbo' vivida por estudantes que acabaram de concluir o nível médio é bem complicada. "A gente nem é mais estudante do ensino médio, nem está na faculdade", lamenta a garota. 

"Não estou muito confiante, mas espero conseguir uma vaga na segunda ou terceira lista", diz.

Maria Vitória vai tentar uma vaga para o curso de Medicina na Ufba (Foto: Arquivo Pessoal)

Penildon afirma que aconselha aos estudantes que já estão na lista de espera por vagas relativas ao semestre de 2020.1 na Ufba que também pleiteiem a vaga para a segunda metade do ano. Segundo o pró-reitor, a universidade baiana ainda vai convocar alunos que se cadastraram na lista de espera do Sisu em 2020.1.

"Vivemos uma situação de instabilidade, então quanto mais opções o aluno puder se oferecer, melhor", explica.


Legenda de ações afirmativas
A0: Ampla concorrência. Ou seja, quem não tem direito ou não deseja concorrer por cotas.
L1: Candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado
integralmente o ensino médio em escolas públicas.
L2: Candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas.
L5: Candidatos que, independentemente da renda, tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas.
L6: Candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda, tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas.
L10: Candidatos com deficiência autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, que tenham renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas.
L14: Candidatos com deficiência autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda, tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas.

Relação de cursos e vagas
1. Administração (60 vagas)
2. Biotecnologia (24 vagas)
3. Ciências Contábeis (44 vagas)
4. Fisioterapia (36 vagas)
5. Fonoaudiologia (24 vagas)
6. Pedagogia (36 vagas) e Pedagogia Noturno (40 vagas)
7. Secretariado executivo (32 vagas)
8. Direito (80 vagas) e Direito Noturno (70)
9. Odontologia (48 vagas)
10. Enfermagem (40 vagas)
11. Gastronomia (36 vagas)
12. Nutrição (40 vagas)
13. Engenharia Civil (72 vagas)
14. Engenharia Elétrica (36 vagas)
15. Engenharia Mecânica (36 vagas)
16. Engenharia Química (36 vagas)
17. Serviço Social (36 vagas)
18. Ciências Biológicas (36 vagas) e Ciências Biológicas Noturno (36 vagas)
19. Geografia (24 vagas)
20. Letras Vernáculas (36 vagas) Letras Vernáculas Noturno (36 vagas)
21. Letras Vernáculas e Língua Estrangeira Moderna (36 vagas)
22. Língua Estrangeira Moderna ou Clássica (36 vagas)
23. Química (32 vagas)
24. Ciência da Computação (36 vagas)
25. Comunicação com Habilitação em Produção em Comunicação e Cultura (24 vagas)
26. Comunicação Social - Jornalismo (24 vagas)
27. Farmácia (56 vagas)
28. Ciências Sociais (48 vagas)
29. Psicologia (36 vagas)
30. Medicina Veterinária (60 vagas)
31. Zootecnia (36 vagas)
32. Bacharelado Interdisciplinar (BI) em Ciência, Tecnologia e Inovação (50 vagas) - EAD em Camaçari
33. Medicina (64 vagas)

*com supervisão da subeditora Clarissa Pacheco

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas