'Escravidão', diz mãe de ex-dançarina do FitDance em áudio

em alta
23.07.2020, 14:09:00
(Reprodução)

'Escravidão', diz mãe de ex-dançarina do FitDance em áudio

Isis Olliveira anunciou saída da equipe de dança há dois dias

O áudio da mãe de uma ex-dançarina da FitDance compara o trabalho da filha na equipe à escravidão. A mensagem de Cristina Olliveira, mãe de Isis Olliveira, foi divulgada pela coluna de Leo Dias, na Metrópoles.

Cristina conta que a filha acordava 4h30 para treinar e ir às gravações. Mesmo em meio à pandemia, Isis foi obrigada a continuar - quando ela relatou que estava com medo de sair de casa por conta da covid-19, teria sido acusada de "não querer trabalhar". "Estava vendo a hora de minha filha ficar doente". A mãe relata que Isis perdeu o brilho nos olhos. "Nunca vi minha filha dançar sem alegria que ela tinha", continua.

Sobre os valores pagos, a mãe diz que Isis recebe R$ 100 por turno de gravação - chegava a gravar até 6 músicas por esse valor. 

Segundo a mãe, sair da equipe era difícil porque os contratos garantiam exclusividade por 4 anos, com direito a multas que batiam nos R$ 200 mil por rescisão. Diz ainda que Isis era colocada "na geladeira" por se destacar e não podia aceitar outras oportunidades de trabalho fora da FitDance. "Esses meninos ganham mixaria", relata.

Cristiana diz que o trabalho estava acabando com a vida da filha, que chegou a tomar ansiolíticos. "É uma escravidão. Vou ficar feliz no dia que minha filha sair disso".

Ela afirma que a filha foi atraída pela proposta de que seria empresariada e iria ver a carreira crescer. "Ficou na mesma, porque talento ela já tinha. Vão dizer que ganhou visibilidade, mas ela estava em ascenção", diz. "Fica todo mundo com medo de sair, porque tem esse contrato leonino, que só beneficia ele. Fazendo a empresa crescer e todo mundo achando que tá todo mundo feliz".

Quando Isis saiu, diz a coluna, a proposta de rescisão proibia criação de canal no Youtube e similares, além de dançar em vários lugares. O pai dela, que é diretor musical de Claudia Leitte, negociou com a marca e exigiu a liberação. No final, o contrato ficou com uma cláusula que diz que ela não pode gravar com Juva Paiva, Dam e Live2Dance. 

Ela anunciou a saída da FitDance há dois dias. "Finalizo meu ciclo e queria agradecer a todo aprendizado, amigos, experiencias e visibilidade que conquistei ao lado deles", escreveu. "Nos ajustamos da melhor forma e juntos ficamos orgulhosos e gratos pela minha jornada. Acrescentamos muita coisa um na vida do outro", continuou, agradecendo a equipe e afirmando que vem novidade pela frente.

Isis foi procurada pela coluna, mas preferiu não comentar. A FitDance divulgou hoje uma nota afirmando que as acusações que surgiram essa semana após a saída de dançarinos são "injustas e sem contexto completo".

Leia na íntegra:

A FitDance é uma das maiores empresas de aulas de dança do mundo e tem como objetivo a formação e valorização dos instrutores. A empresa revolucionou o mercado através de inovação e investimentos contínuos para alavancar a dança e gerar oportunidade para todos através de diversos diretores e dedicação da equipe. 

A empresa é responsável pela formação e capacitação de mais de 10 mil instrutores ao redor do mundo.

Utilizamos as redes sociais como uma ferramenta complementar do ensino de coreografias e de divulgação. Entretanto, nos canais oficiais temos um time de dançarinos que sempre ganhou muito destaque no nosso universo.

Tivemos ciência de críticas e ataques de ex-membros desta equipe de dançarinos. Lamentamos, profundamente, a postura de alguns deles que, com o final dos seus respectivos contratos, optaram por externar publicamente insatisfações, que são injustas e sem o contexto completo do histórico da relação. 

Existe um grande esforço e custo para manter toda a plataforma de serviços, educação continuada, benefícios e eventos para manter ativa a geração dos milhares de empregos diretos e indiretos, e todo o papel social que temos junto a comunidade.

No caso desses integrantes que fazem parte do time de maior visibilidade nas redes sociais, o investimento com eles já ultrapassou alguns milhões de reais em cachês, sendo que estes valores poderiam ser ainda maiores, caso todos optassem por aproveitar todas as possibilidade de receita existentes na empresa. Muitos outros profissionais da FitDance acabaram aproveitando essas oportunidades e se destacando como coaches e muito mais. Essas receitas têm, sim, valores acima da média do mercado, diferente do que está sendo propagado nas redes sociais, e os cachês podem vir de aulas, ensino nos cursos online e presenciais, workshops, pautas de geração de conteúdo educacional, shows e vídeos. Muitos conseguem aproveitar diversas das oportunidades e pautas de trabalho e outros, por opção, tem foco maior apenas nos vídeos, shows e em projetos pessoais.  

Apesar de dezenas de descumprimentos de acordos por parte de alguns deles, a empresa procurou ao máximo, sempre que possível, resolver grande parte disso de maneira amigável e procurando sempre capacitá-los para se desenvolverem nas plataformas que eram o foco principal. O fato de, no decorrer do tempo, alguns dançarinos da equipe não terem conseguido ou terem optado por não focar nas principais oportunidades  da empresa fez com que eles quisessem seguir com outros planos. 

Muito embora existam insatisfações, vale ressaltar que é notório que o trabalho realizado pela FitDance foi benéfico para que todos alcançassem representatividade em suas carreiras como profissionais da dança. Essa representatividade vai ser aproveitada por todos em suas carreiras. Inclusive, alguns que conseguiram se destacar com as oportunidades dadas, desenvolveram trabalhos, negócios próprios e entenderam que poderiam desenvolver seus planos individuais. 
 
Entendemos, perfeitamente, o desejo de cada um deles em alçar novos vôos, mas entendemos que precisamos seguir o trabalho focado na valorização de um todo. A empresa continua investindo em tecnologia, equipamento, contratação de novos colaboradores, mesmo nesse momento de crise mundial e evitou ao máximo que esse impacto chegasse para todos nossos profissionais.

Ainda assim, evoluímos com os aprendizados e relações e desejamos a todos o mais pleno sucesso nos próximos desafios. Nossa comunidade continua crescendo. Continuamos com dançarinos e professores dedicados e cheios de planos com seus trabalhos.

Equipe FitDance

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas