Escultura de Mãe Stella de Oxóssi é alvo de vandalismo e amanhece pichada

salvador
19.09.2019, 16:30:00
Atualizado: 19.09.2019, 17:52:36
(Divulgação)

Escultura de Mãe Stella de Oxóssi é alvo de vandalismo e amanhece pichada

Boletim de ocorrência foi registrado

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O monumento em homenagem a Mãe Stella de Oxóssi amanheceu pichado nesta quinta-feira (19), além de ter sofrido outras depredações. A imagem fica próxima à avenida que leva o nome da líder religiosa, no acesso da Avenida Paralela ao bairro de Stella Maris.

Um boletim de ocorrência foi registrado pela Fundação Gregório de Mattos (FGM). Além disso, a prefeitura já esteve no local para verificar os danos e programar a pintura da obra, assim como a recolocação de uma placa que era fixada ao monumento, que foi arrancada. A base já foi limpa e as pichações apagadas.

A obra, composta por esculturas de Mãe Stella e seu orixá, Oxóssi, é assinada pelo artista plástico Tatti Moreno e foi entregue em abril deste ano.

De acordo com a gestão municipal, mensalmente são gastos R$ 45 mil com reparos de praças, academias de saúde, espaços de lazer e monumentos, alvos de vandalismo.

Neste mês, por exemplo, uma das pombas de bronze do monumento Cetro da Ancestralidade, de mestre Didi, (Deoscóredes Maximiliano dos Santos), foi roubado. A escultura fica na rua da Paciência, no bairro do Rio Vermelho. 

Já em janeiro deste ano, a estátua de Zumbi dos Palmares foi alvo de vândalos. O monumento fica no coração da Praça da Sé, no Pelourinho.

No ano passado, segundo levantamento da FGM, foram restaurados 13 monumentos, e dois deles foram vandalizados no mesmo ano: a estátua de Castro Alves, na praça de mesmo nome, na Rua Chile, e o Ode à Jorge Amado, no Imbuí. 

Também em 2018, foram identificados roubos a outras partes de esculturas em bronze do monumento ao Dois de Julho.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas