Estudantes retornarão às aulas em Sítio do Quinto após mais de um mês de greve dos professores

bahia
11.04.2022, 19:03:00
Colégio Municipal Santo Antônio (Foto: DIvulgação/ Prefeitura Municipal de Sítio do Quinto)

Estudantes retornarão às aulas em Sítio do Quinto após mais de um mês de greve dos professores

Categoria negocia reajuste do piso salarial junto à prefeitura, que alega insuficiência de recursos

A greve dos professores municipais, iniciada há mais de um mês, na cidade de Sítio do Quinto, no nordeste da Bahia, está prestes a terminar. Sem aulas desde o dia 8 de março, os estudantes retornarão às salas nesta terça-feira (12), após uma liminar da Justiça. [Veja abaixo]

Desde de janeiro deste ano, os professores do município têm reivindicado o pagamento do piso salarial em conformidade ao novo reajuste de 33,24% anunciado pelo Governo Federal. Contudo, a prefeitura alega falta de recursos financeiros para arcar com as novas despesas.

Em resposta ao CORREIO, a Prefeitura Municipal de Sítio do Quinto informou estar ciente da obrigatoriedade do cumprimento do pagamento do piso salarial dos professores. "Desde o início das discussões, a gestão municipal sempre esteve trabalhando dentro de um modelo democrático, aberta ao diálogo para que todos pudessem ter seus direitos garantidos dentro da realidade do município", escreveu.

Segundo a gestão municipal, o reajuste indicado pelo Governo Federal se tornaria impossível no momento, pois causaria um déficit em relação à receita do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação), impactando na concessão de novos direitos e, principalmente, causando atrasos no pagamento dos salários dos servidores.

O Sindicato dos Servidores públicos municipais Sítio do Quinto (Sinserpub), no entanto, discorda. De acordo com Evando Santos, presidente da entidade, a prefeitura fechou o ano de 2021 com o caixa de um quase R$ 1.9 milhão. E a estimativa da receita para 2022 saiu de R$ 8.7 milhões, para quase R$ 18 milhões - que seria mais que o suficiente para arcar com o reajuste salarial.

A prefeitura, por sua vez, afirma que é um ente que sobrevive de repasses da União e que não receberá recursos suficientes para que o município possa efetuar o acréscimo de 33,24% no salário dos professores. "A viabilidade de aplicação de reajustes salariais depende da receita municipal, receita esta que sobrevive única e exclusivamente de repasses dos Governos Federal e Estadual. Dessa forma, a aplicação do reajuste do piso do magistério, no patamar de 33,24%, comprometeria as finanças municipais, principalmente à longo prazo tendo em vista o nosso repasse de apenas 0.8 da União", declarou.

Com a receita comprometida, a gestão municipal propôs à classe o reajuste de 15%, percentual que alega ser possível nas atuais condições. A proposta foi aprovada na Câmara Municipal de Vereadores no dia 08 de março.

Fim da greve

Na última sexta-feira (8), o prefeito de Sítio do Quinto, Jair Santos (PSD), conseguiu uma liminar, junto ao Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJBA), que suspendeu o efeito da greve dos professores municipais.

Segundo o presidente do Sinserpub, a desembargadora Maria de Fátima Silva Carvalho ainda deve ouvir o sindicato antes de sentenciar ou não a ilegalidade do ato. Apesar da indefinição, a categoria se antecipou à decisão e decidiu, em assembleia realizada nesta segunda-feira (11), retornar às atividades já na terça (12).

"Mas as negociações sobre o piso salarial ainda vão continuar. A gente não vai desistir", reforçou Evando Santos.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas