Ex-bailarina revela situações racistas nos bastidores do Domingão do Faustão

em alta
20.04.2021, 14:51:20
Atualizado: 20.04.2021, 14:54:53
(Foto: Divulgação)

Ex-bailarina revela situações racistas nos bastidores do Domingão do Faustão

Carol Tokazi conta que produção chegou a pedir que ela alisasse o cabelo

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Apesar do pouco tempo que passou como membro do corpo de baile do ‘Domingão do Faustão’, na Globo, a dançarina e modelo Carol Tokazi relatou ter passado por diversas situações racistas nos bastidores do programa. 

As revelações foram feitas numa entrevista ao colunista Leo Dias, do Metrópoles, para quem ela explicou que o preconceito estava presente desde a hora de selecionar as bailarinas para as apresentações.

"Se um Martinho da Vila se apresentasse, a maioria das meninas que iam fazer a coreografia eram negras e de cabelo afro. Agora, se fosse um sertanejo tipo o Gusttavo Lima, as meninas que iriam para a coreografia eram de pele mais clara, de cabelo loiro e liso", conta.

Ela também comentou que já pediram para ela alisar o cabelo para uma apresentação, o que ela se negou a fazer. 

Foto: Divulgação

A bailarina também contou que sentia como se houvesse uma cota para dançarinas negras. "Parecia que existia um número, por exemplo: ‘Temos que ter seis negras’. E não talvez porque eles queriam que tivesse as seis negras ali, mas talvez porque hoje em dia você tem que colocar seis negras na televisão, tem que colocar uma quantidade de negras em uma dança. Para não parecer que eles tinham um preconceito, quanto na verdade tem", concluiu.

A produção do programa ainda não se manifestou sobre a situação.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas