Ex-pastora evangélica diz que aprendeu mais no OnlyFans que na igreja

em alta
13.05.2021, 12:12:59
(Foto: Reprodução)

Ex-pastora evangélica diz que aprendeu mais no OnlyFans que na igreja

Nikole Mitchell ganha mais de R$ 500 mil por mês vendendo nudes

A ex-pastora da Igreja Batista Nikole Mitchell ficou famosa no mundo todo há dois anos, quando anunciou que criaria uma conta no site adulto OnlyFans. Agora, em entrevista ao ao podcast americano "Holly Randall Unfiltered" ela revelou que aprendeu mais coisas como stripper do que como religiosa.

Mitchell passou 20 dos seus 36 anos se dedicando à igreja batista nos Estados Unidos, tornando-se ainda mais religiosa a partir do momento em que entrou na universidade.

Após ter três filhos e se divorciar, a mulher questionou sua sexualidade e iniciou a venda de fotos sensuais em 2019.

Durante entrevista, Mitchell disse que agora possui conhecimento para aconselhar seus filhos sobre relacionamentos no futuro.

"Agora é tão importante para mim, como mãe, ensinar essas coisas aos meus filhos, para que eles tenham essas habilidades para o resto da vida, para namorar, ter relacionamentos, para seu ambiente de trabalho, para quem eles se tornaram, o que quer que eles acabem fazendo, são habilidades que todos precisam", declara.

Apesar de qualificar a experiência como positiva, a modelo se questiona se seus filhos sentirão "vergonha" por conta de seus 'nudes' circulando pela web.

"Eles vão ter vergonha de mim? Vão ficar com raiva de mim por tê-los envergonhado com o conteúdo da internet? Todos os medos que você possa imaginar. Pensei neles um milhão de vezes mais do que em qualquer outra pessoa."

Ainda na entrevista, Mitchell afirmou que o ambiente da igreja da qual fazia parte era muitas vezes "tóxico".

"Acho que a maior toxicidade que você pode ter sobre sexualidade, sexo, corpos, pode vir do tipo de igreja de onde eu vim. Hoje olho para o quadro geral e penso que estou dando aos meus filhos um presente muito melhor", avalia.

Além dos aprendizados, ela fatura cerca de US$ 100 mil (aproximadamente R$ 560 mil) por mês e se diz realizada com a nova forma de viver: "Eu honestamente acho que nasci para tirar a minha roupa, parece uma chamada".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas