Ex que agrediu digital influencer diz que agiu em legítima defesa

salvador
24.01.2020, 17:08:00
Atualizado: 24.01.2020, 20:31:09

Ex que agrediu digital influencer diz que agiu em legítima defesa

Advogado de Ualace Conceição Carvalho nega que cliente tenha descumprido medida protetiva

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Ualace Conceição de Carvalho, 25 anos, ex-namorado da digital influencer Anne Sampaio, 25, se apresentou na manhã desta sexta-feira (24), na Central de Cumprimento de Mandados do Fórum Ruy Barbosa, em Nazaré.

Ele á acusado de tê-la agredido com pelo menos nove socos após a Lavagem do Bonfim, no dia 16 de janeiro, e de descumprir medida protetiva. O advogado de Ualace, Caio Graco Brito, disse que o cliente agiu "em legítima defesa". "Ele alega ter sido agredido primeiro por ela e que agiu em legítima defesa", disse.

Questionado sobre os nove socos desferidos contra a mulher, que tem inclusive homatomas na região dos olhos, o advogado disse que Ualace "reagiu às injustas agressões dela" e que tem uma fotografia que demonstra que ele também ficou ferido e a imagem que "será mostrada em momento oportuno perante a Justiça".

Anne denunciou ter levado pelo menos nove socos dentro de carro
(Foto: Bruno Wendel/CORREIO)

Medida protetiva
A agressão foi denunciada por Anne Sampaio em suas redes sociais e uma queixa foi registrada na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Brotas no mesmo dia da agressão, 16 de janeiro. No dia seguinte, a justiça deferiu a medida protetiva a favor dela e contra Ualace. Ele ficou proibido de voltar ao apartamento que dividiam há cerca de dois meses.

Nesta quinta-feira (23), um oficial de justiça entregou ao síndico do prédio onde os dois moravam um documento que dá temporariamente a posse do imóvel a Anne. Ela foi ao local buscar pertences acompanhada do advogado, um oficial de Justiça da Vara da Mulher e dois agentes da Deam, por não se sentir segura em retornar sozinha ao local.

O advogado de Ualace nega que o cliente tenha descumprido a medida protetiva e também afirma que o apartamento em questão, no bairro do Costa Azul, não foi alugado pelo casal, mas somente por Ualace.

Ele também nega que estivesse namorando com Anne há seis anos, sob o argumento de que, em 2016, ela teve outra medida protetiva concedida pela justiça, também por violência doméstica, em que o agressor era outra pessoa. Apesar disso, a defesa não informou há quanto tempo o casal estava junto.

"As alegações formuladas pela Sra. Anne Sampaio, em igualdade com o seu advogado, carecem de documentação probatória, sendo que, inclusive, não consta nos autos nenhum comprovante de residência ou até mesmo declaração de prova testemunhal de que a referida residia lá", afirma o advogado.

Apartamento
Ele acrescenta que o imóvel foi alugado por Ualace no dia 1º de novembro do ano passado e que há um documento do síndico do prédio informando que Ualace é o único morador. Desde que deixou o apartamento, Ualace está em um hotel.

A defesa afirma que entregou provas e aguarda que elas sejam juntadas ao processo. A expectativa do advogado Caio Graco Brito é de que a justiça devolva a posse do apartamento a Ualace para que a medida protetiva seja cumprida em outro local.

"A defesa apenas pleiteou a alteração na residência do cumprimento da medida protetiva para que ele possa retornar ao apartamento e ela retorne à casa da genitora, no bairro da Fazenda Grande", completou o advogado.

Entenda o caso
Na manhã do dia 19, no escritório de seu advogado na Avenida Paralela, Anne contou ao CORREIO como tudo aconteceu. Ela disse que, depois de curtirem a Lavagem do Bonfim, os dois seguiram com amigos em um carro rumo ao bairro da Liberdade, onde iriam encontrar com outras pessoas. 

O carro estava cheio e Anne foi sentada no colo de Ualace, no banco de trás. Durante o trajeto, ela conta que fez uma brincadeira com um dos amigos do casal e levou um tapa do então namorado. “Ele bateu no pé do meu ouvido”, contou a digital influencer, que logo em seguida, advertiu ao então namorado.

“Virei para ele e sinalizei com a mão: ‘não me bata, não’. Foi aí que recebi o primeiro soco no rosto e fui parar na parte da frente do carro. Depois que virei, ele deu socos na parte da cabeça e da testa”, detalhou Anne. 

Ainda dentro do carro, ela reagiu: “Eu arranhei ele, porque ele estava me dando muitos socos e eu quase fiquei desacordada dentro do carro”. Diante da situação, o motorista parou e Ualace foi retirado do carro. “Ele veio para cima de mim mais uma vez e tentou me dar mais socos, mas não deixaram”, relatou. 

Anne disse que, nos últimos meses, o namorado apresentava mudança de comportamento quando estava alcoolizado. “Ele toma as cachaças erradas e muda repentinamente de comportamento”. Agora, a digital influencer quer justiça. “Me sinto arrasada. Apesar dos ferimentos, a dor moral está pior do que a dos machucados, porque foi uma coisa repentina, sem esperar. Quero que ele pague pelo que ele fez”, declarou. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas