Exposição homenageia Santa Bárbara e Iansã; veja programação da festa

salvador
04.12.2021, 05:00:00
(Foto: Marina Silva)

Exposição homenageia Santa Bárbara e Iansã; veja programação da festa

Devotos celebram santa católica e orixá africana neste sábado

Regentes dos ventos e tempestades, Santa Bárbara e a orixá Iansã são as homenageadas em uma exposição artística na casa que anualmente presenteia a população de Salvador com a decoração e a reza pública, cantada no ritmo do ijexá, para Santo Antônio. As duas divindades são representadas na exposição como duas senhoras que vestem vermelho, unidas na fé do povo, enaltecendo a força e beleza da figura feminina. No local, os devotos vão encontrar um altar rico em detalhes dedicado a Santa Bárbara, decorado com rosas vermelhas feitas de papel e uma réplica da sua procissão que, antes da pandemia, saía em cortejo pelo Centro Histórico, com as imagens de Cosme e Damião, São Jorge, São Sebastião, São Miguel Arcanjo, São Lázaro, São Roque e São Jerônimo abrindo o caminho para a guerreira e mártir da Igreja Católica passar.  

O responsável pela exposição, Rodrigo Guedes, 33 anos, florista, homenageia o sagrado através da arte nas suas múltiplas formas de expressão. A tradição de homenagear os santos dentro de sua família é muito antiga, passada de geração em geração. A casa da exposição é onde a avó do artista vive e onde, desde que ele nasceu, eram realizados rituais e celebrações para homenagear as divindades do catolicismo no local. Foi assim que surgiu, há 15 anos, a reza pública que atualmente é realizada todos os anos em 13 de junho, dia dedicado a Santo Antônio. 

“Essa casa é conhecida pela reza pública de Santo Antônio, então a sala da casa de minha avó fica aberta para que as pessoas possam vir celebrar conosco o sagrado. Ano passado a gente não pôde abrir, mas não deixamos de fazer, nos adaptamos e fizemos algo mais simples”, contou o artista. “Eu quero passar essa tradição para as outras pessoas com minha arte e mantê-la viva. Tudo que eu aprendi foi em casa com minhas avós, principalmente a confeccionar altares para Santo Antônio. Depois, fui fazendo pouco a pouco em outros lugares, mas sempre primeiro em casa. Então, hoje, trazer esses santos de devoção popular para casa, como eu aprendi, dentro de uma pandemia, é voltar às nossas origens”, declarou. 

O florista explica que sua família nunca teve o costume de celebrar os orixás celebrados na Bahia nas mesmas datas que os santos do catolicismo, mas que ele abarca tudo na sua arte. Na exposição, é possível “ver" Iansã através dos diversos itens vermelhos espalhados pela casa. “O dia 4 é celebrado de uma forma muito especial em Salvador, é muito lindo ver as pessoas vestidas de vermelho e branco, louvando tanto Santa Bárbara quanto Iansã, todos num mesmo lugar e numa mesma sintonia. As duas se tornam uma só, unidas pela fé. Os devotos a essas divindades sempre pedem força porque elas são mulheres acima de tudo e mulher é símbolo de força”, afirmou Rodrigo Guedes. 

Jacira de Santana, mãe de santo do terreiro Ilê Axé Ibá Lugan conta que Iansã ou Oiá, como é também chamada, é uma divindade da mitologia iorubá associada aos ventos e às águas, sendo companheira de Xangô, o senhor dos raios e tempestades. Dos orixás femininos, Iansã é uma das mais guerreiras e imponentes. “Santa Bárbara veio da Grécia, Iansã veio da África. Nossos orixás são da África mãe”, diz a religiosa. 

Jacira foi iniciada no candomblé há 50 anos por um chamado de Iansã. “Ela representa muito na minha vida porque sou uma mulher iniciada e escolhida por Iansã para ela descer no meu corpo. Ela é uma mulher representativa, me dá força e equilíbrio. Quando cultuamos Iansã, nós pedimos proteção, renovação de nossa fé, paz e abertura de caminhos porque ela foi muito guerreira e muito amada”, explicou a mãe de santo. 

No terreiro de Jacira, a festa para Iansã é feita em março, quando ela foi iniciada no candomblé. Já no Terreiro Ilê Asé Ajunsun Benoy, na Suburbana, o pai de santo do local, Lomanto, explica que realizará uma festa em homenagem a Iansã hoje com toque de atabaque, onde as pessoas poderão cultuar a orixá e fazer seus pedidos. Na ocasião, também serão arreadas as oferendas com frutas, acarajés e o próprio caruru. 

Na Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, os devotos também poderão cultuar a Santa Bárbara hoje às 7h, às 9h, e às 11h. Apesar de não ter mais vagas para o público na igreja, os fiéis poderão acompanhar as Celebrações Eucarísticas em tempo real através de uma transmissão pelo Youtube no canal “Irmandade dos Homens Pretos – Salvador”. Ainda neste dia, como parte da programação, acontecerá a Live Cultural em louvor a Santa Bárbara, às 15h.

O Corpo de Bombeiros da Bahia também não ficará de fora da celebração à Santa Bárbara. A corporação distribuirá hoje 600 quentinhas contendo caruru para os moradores de comunidades da capital baiana. A missa, que também acontece tradicionalmente na capela do 1° Grupamento de Bombeiros Militar (1°GBM/Barroquinha) não terá a presença dos fiéis este ano, mas a cerimônia será transmitida ao vivo através do Instagram (@cbmba193) da corporação. 

"Essas entregas acontecem tradicionalmente no nosso quartel, mas, por causa da pandemia, desde o ano passado estamos com esse novo formato. Estamos priorizando a entrega das quentinhas para pessoas em vulnerabilidade social e também levamos um pouco de conforto para esses cidadãos. Pedimos à população que não vá ao quartel, mas que façam suas orações em casa", disse o comandante-geral Adson Marchesini.

*Com a orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas