Feirense com coronavírus circulou por 3 dias até ser atendida em hospital de Salvador

salvador
06.03.2020, 19:04:00
Atualizado: 06.03.2020, 19:54:07
Hospital Cardio Pulmonar, na Avenida Garibaldi Salvador (Antonio Queiros/Arquivo CORREIO)

Feirense com coronavírus circulou por 3 dias até ser atendida em hospital de Salvador

Com sintomas da doença, mulher de 34 anos desembarcou na capital baiana dia 25 e foi atendida dia 28 no Hospital Cárdio Pulmonar, na Garibaldi

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A paciente de Feira de Santana com o novo coronavírus (Covid-19) foi atendida no Hospital Cárdio Pulmonar, na Av. Garibaldi, em Salvador, no último dia 28. A informação foi confirmada ao CORREIO pelo infectologista Alan Neves, do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar do Hospital Cárdio Pulmonar.

A feirense infectada, que tem 34 anos, procurou atendimento na unidade de emergência com quadro de febre, dor muscular e dor de garganta e com histórico de viagem recente para Roma e Milão, na Itália, onde aconteceu a contaminação. Ela retornou da Europa no dia 25 de fevereiro e só procurou atendimento três dias depois, no dia 28 do mesmo mês.

De acordo com o médico, na consulta, a paciente apresentou sintomas leves, sem sinais de gravidade, não tendo indicação de internação hospitalar. Ela foi orientada e recebeu alta para domicílio no mesmo dia.

Após identificada como 'caso suspeito de infecção' pelo novo coronavirus 'todas as precauções foram adotadas', informou o médico. A unidade de saúde notificou à Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e os exames para diagnóstico encaminhados para o laboratório de referência do estado (Lacen), conforme protocolo do Ministério da Saúde. 

Questionado pelo CORREIO sobre quais medidas o hospital adotou com relação à segurança dos profissionais que fizeram o atendimento, o hospital informou que 'possui um protocolo para atendimento destes pacientes'. "Para toda pessoa com sintomas respiratórios é oferecido uma máscara. Aqueles pacientes com critério para caso suspeito de infecção pelo novo coronavírus são colocados em leito de isolamento e os profissionais de saúde, ao entrarem no leito, devem usar equipamentos de proteção individual", pontou o infectologista Alan Neves.

De acordo com o médico, pessoas que por acaso tenham tido contato com ela no local estão seguros. "Como o paciente usa máscara desde o início do atendimento e é logo encaminhado para o leito de isolamento, os profissionais de saúde, outros pacientes em atendimento, familiares e transeuntes estão seguros e não tem motivo para pânico", explicou.

Apesar de ter coletado os exames da paciente, o hospital ficou sabendo apenas hoje da confirmação do caso.

Primeiro caso na Bahia
A Secretaria Estadual da Saúde da Bahia (Sesab) confirmou nesta sexta-feira (6) o primeiro caso importado do novo coronavírus na Bahia. O primeiro atendimento e as amostras foram coletadas em um hospital particular da capital baiana, segundo a Sesab, e foram enviadas para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, que é a referência nacional do Ministério da Saúde. O resultado laboratorial confirmando o diagnóstico foi concluído nesta sexta-feira segundo a Sesab. 

Segundo o secretário Fábio Vilas-Boas, “trata-se de um caso importado. A paciente contaminou-se na Europa e veio manifestar os sintomas depois de ter chegado ao Brasil. Isso é diferente de haver uma contaminação interna no estado e, portanto, todas as medidas de contenção para garantir que não houve a contaminação de outras pessoas foram e estão sendo tomadas pela vigilância estadual, municipal e Núcleo Regional de Saúde Leste”, afirmou o secretário.

Nesta sexta-feira (6), segundo a Sesab, a paciente que apresentou os sintomas após chegar da Europa não está mais com os sintomas da doença. "A paciente encontra-se em casa, na cidade de Feira de Santana, assintomática, com orientação de permanecer em isolamento, adotando as medidas de precaução de contato e respiratório. O monitoramento é realizado pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA) em conjunto com a vigilância municipal de Feira de Santana", afirmou a Sesab, em nota. 

A confirmação do caso foi comunicada pelo secretário no Twitter. 

O prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins (MDB), comentou sobre a o caso na manhã desta sexta-feira (6). Ele usou as redes sociais para dizer que a paciente, uma mulher de 34 anos, está sendo monitorada e frisou que não há motivo para pânico. “A paciente está estável, assintomática, em isolamento para evitar contatos com outras pessoas. Asseguramos que todo o caso está sendo acompanhado com toda atenção pela nossa Secretaria de Saúde e pelo CIEVS/BA. Esse é o atual cenário, peço a todos que não espalhem Fake News”, disse em uma publicação no twitter.

Comentário feito no twitter
(Foto: Reprodução)

Família está sendo monitorada
Os familiares de uma mulher que foi confirmada com coronavírus na cidade de Feira de Santana também estão sendo monitorados pelas autoridades de saúde. “A paciente encontra-se em isolamento domiciliar e os contactantes após a manifestação dos sintomas, que são os familiares, estão em monitoramento. No momento, a paciente encontra-se assintomática. A vigilância municipal de Feira de Santana, o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA) e o Núcleo Regional de Saúde Leste monitoram o caso”, diz a nota.

Ainda não há informações se o vírus confirmado na Bahia é o mesmo encontrado em pacientes de outros estados brasileiros. Até então as autoridades de saúde detectaram dois genomas do Covid-19 no Brasil.

A infectologista Ana Paula Alcântara afirmou que o isolamento de pacientes com doenças virias é importante para evitar a disseminação da doença. A orientação é que a pessoa que está contaminada evite sair de casa e não faça contato com multidões.

“Quem tem o diagnóstico confirmado, mas não apresenta sintomas da doença, pode ficar em casa, mas terá que seguir algumas recomendações. É preciso usar máscara para não contaminar outras pessoas, lembrando que a máscara precisa ser trocada a cada 4h, não pode ir ao trabalho, escola, ou qualquer outro local que reúna um aglomerado de pessoas. Por isso, inclusive, alguns países estão proibindo eventos com multidões”, disse.

A especialista contou que higienizar as mãos com água e sabão, ou com álcool gel, é a melhor forma de prevenção, além de cobrir a boca e o nariz ao tossir ou espirrar. Como os sintomas do Covid-19 são semelhantes ao de uma gripe comum é preciso estar atento se o paciente esteve nas áreas de risco ou em contato com pessoas que estiveram nesses locais. Nessas situações, é preciso procurar um médico imediatamente.

Já o papel dos órgãos públicos deve ser de monitoramento. “A vigilância sanitária é bem atuante nesse sentido. A medida que o caso é confirmado, a vigilância vai na casa do paciente e vai ligar para essa pessoa, diariamente, com orientações sobre como proceder. Esse trabalho é feito tanto pelo estado como pelo município. Lembrando que no momento não há motivo para pânico. Temos um único caso confirmado, em que o paciente já foi orientado, está em isolamento e sendo monitorado”, explicou a infectologista.

O período de isolamento alterna, mas, em média, dura 14 dias. Ela destacou também a campanha de vacinação contra a gripe. A ação estava prevista para começar no dia 19 de abril com grupos com crianças, idosos e gestantes, mas o Ministério da Saúde resolveu antecipar o início da campanha para o dia 23 de março, por conta do coronavírus.

Notificações
De janeiro até às 17 horas de quinta-feira (05), a Bahia registrou 73 casos notificados com suspeita clínica de infecção pelo novo coronavírus, sendo 21 excluídos por não se enquadrarem no protocolo do Ministério da Saúde, 29 foram descartados laboratorialmente e 23 aguardam análise laboratorial. Os municípios notificantes foram Camaçari, Feira de Santana, Ilhéus, Itabuna, Jacaraci, Jequié, Lauro de Freitas, Lençóis, Salvador, Sant Cruz Cabrália, Teixeira de Freitas, Tucano e Vitória da Conquista. Estes números representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA) em conjunto com os Cievs municipais.

"Ressalta-se que os números são dinâmicos e na medida em que as investigações clínicas e epidemiológicas avançam, os casos são reavaliados, sendo passíveis de reenquadramento na sua classificação. Um novo boletim, com dados atualizados, será divulgado às 17 horas desta sexta-feira (6)", destacou a Sesab, em nota. 

Atualmente 33 países são monitorados pelo Ministério da Saúde por apresentarem transmissão ativa do coronavírus. Com isso, os critérios para a definição de caso suspeito enquadram agora, as pessoas que apresentarem febre e mais um sintoma gripal, como tosse ou falta de ar e tiveram passagem pela Alemanha, Argélia, Austrália, Canadá, China, Coreia do Norte, Coreia do Sul, Croácia, Dinamarca, Emirados Árabes Unidos, Equador, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Indonésia, Irã, Israel, Itália, Japão, Líbano, Malásia, Noruega, Reino Unido, Romênia, San Marino, Singapura, Suécia, Suíça, Tailândia e Vietnã.

"É importante pontuar que o paciente com diagnóstico positivo para o novo coronavírus pode cursar com grau leve, moderado ou grave. A depender da situação clínica, pode ser atendido em unidades primárias de atenção básica, unidades secundárias ou precisar de internação. Mesmo definindo unidades de referência, não significa que ele só pode ser atendido em hospital. Os casos graves devem ser encaminhados a um hospital de referência para isolamento e tratamento. Os casos leves devem ser acompanhados pela Atenção Primária em Saúde (APS) e instituídas medidas de precaução domiciliar", pontuou a Sesab.

Conscientização
A Sesab informou que está realizando uma campanha de conscientização sobre a importância da higiene regular das mãos e ratificando a necessidade de cumprimento da Legislação Estadual nº 13.706/2017, que determina a disponibilização de dispensadores de álcool gel por parte de estabelecimentos comerciais que prestam serviços diretamente à população.

O objetivo é prevenir as pessoas contra infecções virais como Coronavírus, H1N1, H3N2 e Influenza B. A Secretaria listou também os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Confira:

• Evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas;

• Realizar lavagem frequente das mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;

• Utilizar lenço descartável para higiene nasal;

• Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;

• Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;

• Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;

• Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;

• Manter os ambientes bem ventilados;

• Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;

• Evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações;

• Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas