Festa de Santo Amaro de Ipitanga tem carreata e presença de poucos fiéis

bahia
15.01.2021, 15:26:00
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Festa de Santo Amaro de Ipitanga tem carreata e presença de poucos fiéis

Evento histórico é celebrado em Lauro de Freitas

Igreja mais antiga de Lauro de Freitas, a Paróquia Santo Amaro de Ipitanga comemorou 413 anos de história e devoção nesta sexta-feira (15). Localizada no centro do município e participante ativa no processo de desenvolvimento da cidade, a paróquia realiza ações sociais para os mais carentes ao longo de toda sua história. Assim como outros festejos religiosos, a comemoração de Santo Amaro é patrimônio cultural de Lauro de Festa e atrai milhares de moradores que todos os anos vão prestigiar o homenageado, que é padroeiro da cidade.

A festa, que costuma reunir até mil pessoas por noite de novenário e mais de dez mil na Praça Matriz no dia 15, auge da celebração, foi diferente. Ao invés da estrutura da igreja, que só comportaria 70 pessoas com distanciamento social, quem recebeu os 200 fiéis por celebração foi o centro paroquial de Santo Amaro de Ipitanga, onde a celebração foi realizada em ambiente aberto. Durante o dia, aconteceram quatro celebrações com 800 pessoas divididas em grupos de 200 em cada uma das missas. Para comparecer, os fiéis garantiram presença pelo Sympla, que foi usado para distribuir as entradas e evitar aglomerações.

Celebração de Santo Amaro contou com quantidade restrita de fiéis (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Prazer em celebrar

Apesar das diferenças nas festas, os fiéis não deixaram de se alegrar com mais um ano de uma comunidade que, segundo eles, é viva e atuante desde sempre. Joélia Santos, 52,  é assistente social e vai à paróquia desde quando nasceu. Para ela, fazer parte da comunidade de Santo Amaro de Ipitanga é motivo de muita alegria e celebrar o aniversário da paróquia com a missa e a tradicional carreata faz com que o coração se encha de sentimentos bons. "A história de Santo Amaro é linda, cheia de caridade, de cuidado e de participação social. A gente vem aqui comemorar esse santo, que é tão importante para nós. Participar disso todo ano e sair com a fila de carros que transporta me deixa muito feliz", declarou.

Essa fila de carros citada por Joélia não é nada incomum, pelo contrário. Sair com dezenas de carros acompanhando a imagem de Santo Amaro pelas ruas de Lauro de Freitas já é tradição mais que conhecida pelos moradores. Dessa vez, não foi diferente, vários carros e até dois trios se organizaram para passar pelas ruas da cidade comemorando o aniversário do padroeiro. 

Carreata percorreu ruas de Lauro de Freitas com imagens de Santo Amaro (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Professora, Luciara Pinto, 59, assim como Joélia, é paroquiana desde quando se entende por gente, e concorda com a fala da irmã de fé. Segundo Luciara, todos em sua família têm muito orgulho de participar da comunidade e celebram todo 15 de janeiro assim, com devoção, independente do cenário. "Nós amamos a comunidade, nos sentimos agraciados em participar. Celebramos Santo Amaro todos os anos na missa e também na carreata com muita alegria, mesmo quando a situação não está boa. Afinal, é pra ele que pedimos ajuda, proteção. Sem fé, não saímos do lugar", defendeu.

Devoção e tradição

Durante os seus 413 anos de existência, a paróquia cresceu lado a lado com o município de Lauro e teve papel importante no cuidado com a comunidade. Isso é o que diz Lívia Amaral, 50 anos, funcionária pública e paroquiana no local desde 1991. "Santo Amaro representa partilha e caridade para mim, para minha família e para o povo de Lauro. A Igreja foi e ainda é fundamental na construção da nossa comunidade. Pessoalmente, essa paróquia tem um papel importantíssimo para a minha formação, mostrando o valor do amor ao próximo, da fidelidade e do cuidado", contou.

Lívia Amaral, a esquerda, e Joélia Santos, a direita, são da paróquia de Santo Amaro de Ipitanga (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Quem concorda com a fala de Lívia é o pároco de Santo Amaro, o padre Juraci Gomes. E diz mais: para ele, Lauro sob o olhar da Igreja e, por isso, a reconhece como fundamental para a história da cidade. "A paróquia foi um canal de evangelização e congregação das pessoas daqui. Lauro de Freitas nasceu à sombra da igreja de Santo Amaro. Até por isso, é um patrimônio tombado pelo IPHAN desde 1946", explicou.

Outra pessoa que reafirma a importância histórica da paróquia é Cássia Cazaes, 39, fiel e coordenadora da pastoral do dízimo da Igreja de Santo Amaro. "Nossa igreja é patrimônio imaterial e cultural. Temos, no interior dela, um dos maiores arsenais de azulejo português. Em torno dessa paróquia, estão situadas seis comunidades e, a partir dela, foram fundadas cinco paróquias. Tudo aqui na cidade se deu em torno de Santo Amaro. A cidade preza por estimar esse santo, é devota dele", disse.

Igreja é símbolo de comunidade para Lauro de Freitas (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

A fundação da igreja, no século 16, é de responsabilidade dos jesuítas, que atuaram em parceria com a aldeia de São João, na segunda metade do século. De acordo com historiadores, a construção da Igreja Matriz foi executada entre 1577 e 1584, pelos padres da Companhia de Jesus, sob a orientação do Pe. José de Anchieta. As características estruturais são do século XVIII.

*Com orientação da subchefe de reportagem Monique Lôbo

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas