FIEB e MP-BA assinam acordo para estimular logística reversa de embalagens

economia
17.10.2019, 19:01:00
Atualizado: 17.10.2019, 19:56:24
A promotora de Justiça Cristina Seixas Graça, o vice-presidente da FIEB, João Batista, e o presidente do Conselho de Sustentabilidade, Jorge Cajazeira assinaram o documento durante o Fórum (Foto: Valter Andrade/Coperphoto/Sistema FIEB)

FIEB e MP-BA assinam acordo para estimular logística reversa de embalagens

Documento foi assinado durante o Fórum Indústria Baiana Sustentável 2019, que aconteceu hoje (17) na sede da entidade

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB) e o Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) assinaram na tarde de hoje (17) um Acordo de Cooperação que visa promover o engajamento do setor empresarial no fomento da logística reversa de embalagens no estado. O documento foi firmado durante o Fórum Indústria Baiana Sustentável 2019, promovido pelo Conselho de Sustentabilidade da FIEB, na sede da entidade.

A federação se comprometeu a garantir a capacitação, a dar assessoria empresarial e a publicar um manual sobre o tema, além de articular com o governo para, por exemplo, atrair recicladoras para Bahia e elaborar projetos de lei que incentivem a reciclagem, como explica o presidente do Conselho de Sustentabilidade da FIEB, Jorge Cajazeira.

Ainda no mesmo evento, a FIEB lançou o Relatório de Sustentabilidade do Sistema FIEB 2017-2018. “A questão do lixo no Brasil é crucial. O plástico nos mares e, recentemente, a questão do petróleo derramado também são resíduos. São assuntos que causam muita polêmica, mas toda uma cadeia precisa compartilhar esse custo e não só a indústria. Daí vem a importância de implantar esse sistema circular. Só que a tarefa não é fácil, pois exige uma mudança de cultura. Por isso resolvemos fazer o pacto”, pontuou Cajazeira.  

Compromisso coletivo

O objetivo do acordo está baseado no cumprimento da Política Nacional de Resíduos Sólidos e também em buscar alternativas para evitar judicializações.  Ao MP-BA coube o apoio técnico para o desenvolvimento das atividades do projeto e o acompanhamento das ações desenvolvidas por todas as empresas participantes. 

“Importante salientar que a logística reversa de embalagens compete a toda a cadeia produtiva, deve ser independente do poder público e não se confunde com as ações de coleta seletiva”, destaca a promotora de Justiça e coordenadora do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Meio Ambiente e Urbanismo do Ministério Público Estadual, Cristina Seixas Graça. 

Integrante do Conselho de Sustentabilidade da Fieb, o diretor de Jornalismo da TV Bahia, Eurico Meira, também participou do encontro e defendeu uma mobilização em cadeia para estimular a logística reversa. “O assunto é complexo, instigante e envolve todos os segmentos da sociedade. Esse debate é mais um passo para avançar, no sentido de como tratar a questão da logística reversa”.
 


 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas