Fiéis lotam a Colina Sagrada para a primeira sexta-feira do ano

salvador
03.01.2020, 21:02:00
Religiosos aproveitaram para fazer pedidos e agradecimentos (Foto: Tiago Caldas/ CORREIO )

Fiéis lotam a Colina Sagrada para a primeira sexta-feira do ano

Treze missas foram realizadas ao longo de todo dia

Milhares de fiéis e turistas passaram a primeira sexta-feira do ano na Basílica do Senhor do Bonfim, onde amarraram fitinhas, agradeceram por 2019 e fizeram os pedidos para 2020.

Segundo o padre Edson Menezes, responsável pela igreja, entre 70 e 100 mil pessoas marcaram presença na chamada “Sexta-feira da Proteção”. Para atender a todo esse povo, 13 missas foram realizadas durante todo o dia.

“É muito confortador ver tanta gente e tanta fé no rosto das pessoas. E, depois das missas, o povo vem nos agradecer, pede para tirar foto, nos contam da felicidade delas. Com isso constatamos como a devoção ao Senhor do Bonfim continua muito viva” celebra o padre.

Há 11 anos tomando conta da Igreja do Bonfim, o padre lembra que, quando chegou, deparou-se com essa tradição das pessoas irem até o local na última e primeira sexta-feira do mês para agradecer ao santo. Encantado com a fé do povo, Edson resolveu valorizar a iniciativa e batizar a celebração como “Sexta-feira da Proteção”.

“É como a própria Lavagem, que foi uma iniciativa popular que ninguém sabe bem como começou. Então quando vi essa tradição, resolvi criar uma estrutura, colocando uma tenda para realizar as missas fora da Igreja e, desta forma, poder receber mais gente. É uma questão de sensibilidade pastoral e valorização da fé. Daí fomos chegando a essa realidade que temos hoje, com o número de fiéis aumentando a cada ano”, comemora.

Visitar igreja do Bonfim já é tradição (Foto: Tiago Caldas/ CORREIO)

Uma tenda com um palco foi montada na entrada da igreja para receber melhor os fiéis, que já mostravam ansiedade para subir a Colina Sagrada no próximo dia 16, quando ocorre a Lavagem do Bonfim.

“Tem gente que diz que o ano só começa depois do Carnaval. Mas nós, os devotos do Senhor do Bonfim, só vamos comemorar o 2020 quando chegar a Lavagem”, conta o aposentado Paulo Cezar, 45, que herdou dos pais a tradição de ir à Basílica na primeira e última sexta-feira de cada ano e fez questão de trazer os filhos para continuar com o hábito familiar.

“Meu pai morreu há 10 anos e vir aqui é uma homenagem a ele, que sempre me trazia. Para mim é muito especial e emocionante estar aqui. Chega dá arrepio. Vim pedir paz e amor no coração pois o mundo está precisando. E é muito importante para gente, que é baiano da gema, vir anualmente”, diz.

Amarrar fitas na grade faz parte da tradição (Foto: Tiago Caldas/ CORREIO)

Quem também é figurinha carimbada na Sexta-feira da Proteção é a técnica de enfermagem Simone Bispo, 55, que há 32 anos honra a tradição. Ela começou a subir a Colina Sagrada por indicação de uma amiga, que garantiu que a vida da técnica de enfermagem iria melhorar após ela se tornar fiel.

Deu certo. “Melhorou muito. Consegui minha casa própria, tenho um filho maravilhoso, fiz meu curso de enfermagem… Me sinto renovada e protegida quando venho aqui. Saio com a certeza de que, se vier algo em minha direção, não irá me atingir. Muitas vezes eu penso que algum sonho meu é impossível mas, após vir aqui, sempre consigo realizá-lo”, comemora.

Simone Bispo honra a tradição há 32 anos (Foto: Tiago Caldas/ CORREIO)

Se quem vem todos os anos sente-se reenergizado todas as vezes, o efeito é ainda maior em quem é estreante. É o caso da turista americana Becca Thorne, que ficou encantada com a fé dos baianos.

“Eu ouvi falar dessa tradição e fiquei muito animada em vir aqui para colocar minha fita e fazer meus pedidos. É muito legal vocês terem costumes deste tipo aqui. Tudo é lindo e fica um visual bem legal com todas essas fitas amarradas na grade”, opina.

Becca Thorne disse que ficou encantada com a fé dos baianos (Foto: Tiago Caldas/ CORREIO)

Dentre os turistas que visitaram a Igreja do Bonfim na primeira sexta do ano está a atriz carioca Alice Wegmann, que atuou na novela Órfãos da Terra, e registrou o momento em seu Instagram. Ela compartilhou uma foto mostrando a fita que amarrou. “Abraçar e agradecer”, escreveu ela, na legenda. Axé.

 *Com supervisão da chefe de reportagem Perla Ribeiro

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas