Fila da regulação zerou em Salvador nesta quarta (7)

coronavírus
07.04.2021, 18:18:00
Atualizado: 07.04.2021, 18:22:16
Taxa de ocupação dos leitos de UTI ainda preocupa (Foto: Arquivo CORREIO)

Fila da regulação zerou em Salvador nesta quarta (7)

No mês passado, 137 pessoas chegaram a aguardar por uma vaga nas unidades de saúde

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A fila da regulação nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Salvador zerou na tarde desta quarta-feira (7). Desde a segunda onda ficou mais intensa, em fevereiro, a quantidade de pessoas aguardando por uma transferência cresceu vertiginosamente. No dia 15 de março chegou a 137 pacientes. Essa foi a primeira vez desde então que ela ficou nula.

O dia amanheceu com 19 pessoas na fila, eram oito pacientes adultos esperando um leito nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI), e dez adultos e uma criança aguardando uma acomodação na enfermaria. Às 13h, todos já haviam sido transferidos, e não havia mais ninguém na fila. Na terça-feira (6), foram reguladas 70 pessoas.

O prefeito Bruno Reis comemorou o cenário, mas pediu cautela. Ele frisou que apesar dos números estarem caindo e do Fator RT, que mede a velocidade de transmissão do vírus estar dentro do controle, a taxa de ocupação dos leitos de UTI ainda permanece alta. Nesta quinta-feira, estava em 82%, o mesmo percentual dos últimos dias.

“Nenhuma capital do Brasil tem hoje uma situação como a nossa, e isso aconteceu porque nós tivemos a coragem, primeiro, de tomar as decisões na hora certa, e depois, de tomar as decisões acertadas, mesmo diante das pressões dos segmentos que vinham sofrendo com a pandemia no último ano. Os esforços do último mês permitiram esses números”, afirmou.

A expectativa é de que 19 mil novas doses da vacina sejam entregues em Salvador, nesta quinta-feira (8). Metade delas será usada na primeira fase, mas os idosos mais jovens terão que aguardar um pouco mais para se proteger.

“A quantidade de doses que vão chegar amanhã é insuficiente para iniciar a vacinação dos idosos de 61 e 60 anos. São 25 mil idosos de cada idade, então, a gente precisaria de 50 mil doses para atender a todo esse público”, disse.

O prefeito comentou também sobre a dificuldade de conseguir comprar novas vacinas por conta da segunda e da terceira onda de contaminação pela qual estão passando outros países. Já o Governo Federal prometeu entregar 30,5 milhões de doses aos estados até o final de abril.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas