Filho de Edmundo desabafa sobre venda de geleias: 'Incomoda mais que o abandono'

em alta
22.07.2020, 09:14:44
Atualizado: 22.07.2020, 09:21:04
(Foto: Reprodução)

Filho de Edmundo desabafa sobre venda de geleias: 'Incomoda mais que o abandono'

Alexandre Mortágua está vendendo o produto para se manter durante quarentena

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Alexandre Mortágua, filho da ex-modelo Christina Mortágua com o ex-jogador Edmundo, voltou a comentar sobre a repercussão da notícia de que ele estava estava fazendo geleias para vender para conseguir pagar as contas durante a quarentena.

"O negócio está ótimo dentro dos limites do que pode uma empresa que tem duas semanas de existência (risos); mas tem sido interessante acompanhar o que as pessoas têm dito das minhas geleias. Minha vida parece incomodar mais do que o abandono paterno que eu sofri", disse o filho de Edmundo ao site "gay.blog.br".

Alexandre divide um apartamento em São Paulo com uma amiga, de quem é sócio na empreitada. No ano passado, ele lançou seu primeiro documentário, "Todos nós cinco milhões", exatamente sobre histórias de filhos abandonados pelo pai. Ele já tem outro projeto de filme em mente. Desta vez, sobre a luta pelos direitos das pessoas trans.

"O buraco da ausência do meu pai foi preenchido por mulheres muito incríveis que me ensinaram tudo que eu sei sobre amor, comunidade, arte, justiça e poesia. Eu não abriria mão da pessoa que eu sou hoje pela possibilidade de ter crescido com o meu pai", acredita o jovem cineasta de 25 anos. Quando questionado se gostaria de voltar a ter contato com Edmundo, ele devolve com outra pergunta: "Voltar?".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas