Filme com Wagner Moura é selecionado no Festival de Veneza

entretenimento
25.07.2019, 15:30:00
Atualizado: 25.07.2019, 15:33:28

Filme com Wagner Moura é selecionado no Festival de Veneza

Penépole Cruz e Gael García Bernal também estão no elenco do longa inspirado no livro de Fernando Morais

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O ator baiano Wagner Moura interpreta um espião cubano no filme 'Wasp Network', selecionado para a 76ª edição do Festival de Cinema de Veneza. Dirigido pelo francês Olivier Assayas, o filme conta com Penélope Cruz e Gael García Bernal no elenco e é inspirado no livro "Os últimos soldados da Guerra Fria” , do escritor brasileiro Fernando Morais.

O thriller de espionagem, gravado em Cuba e nas Ilhas Canárias, revela como o governo de Fidel Castro infiltrou cinco agentes de inteligência cubanos nos Estados Unidos, durante os anos 1990. "Wagner é um dos três principais espiões do filme. Ele é um dos atores mais geniais que temos, está brilhante no filme. É surpreendente ver o que ele consegue fazer em qualquer língua" antecipa Rodrigo Teixeira, que assina a produção do filme, à Folha de S. Paulo.

À frente da RT Features, Rodrigo, que é brasileiro, também emplacou outro filme com produção sua entre os indicados: a ficção científica 'Ad Astra', de James Gray e estrelada por Brad Pitt. "Para mim, são dois filmes brasileiros. Digo isso porque eu sou brasileiro, a empresa é brasileira. O que eles têm em comum é a questão do risco. São dois filmes arriscados para se fazer nos dias de hoje", afirmou o produtor.

Mais Brasil
Estreia da atriz Bárbara Paz como produtora e diretora de um longa-metragem, o documentário “Babenco – Alguém tem que ouvir o coração e dizer: Parou” também foi selecionado para o 76º Festival Internacional de Cinema de Veneza e participará da mostra competitiva Venice Classics, com documentários sobre cinema.

Viúva de Hector Babenco, Paz acompanha os últimos momentos do cineasta, que morreu em 2016 aos 70 anos. "É um filme superpessoal, que estávamos fazendo juntos, mas ele partiu antes da hora. Ficou comigo esse meu adeus para ele. Não é um filme só de biografia, mas sobre o homem interior e o amor que ele tinha pelo cinema", conta Bárbara.

Outra presença brasileira no festival é o curta-metragem em realidade virtual, A Linha, produzido pela Arvore Experiências Imersivas e narrado por Rodrigo Santoro. O feilme estreia no Festival, na Venice Virtual Reality (VVR), mostra dedicada aos filmes de realidade virtual, que integra a seleção e competição oficial.

A 76ª edição do Festival Internacional de Cinema de Veneza ocorre de 28 de agosto a 7 de setembro de 2019. Entre outros filmes selecionados pelo Festival, estão J'accuse, obra sobre o caso Dreyfus dirigido por Roman Polanski, The Truth, de Hirokazu Kore-eda, Ema, de Pablo Larraín, e The Laundromat, de Steven Soderbergh.

Confira os selecionados para a mostra principal:
“La vérité”, de Kore-eda Hirokazu (França, Japão)
“The Perfect Candidate”, de Haifaa Al-Mansour (Arábia Saudita, Alemanha)
“About Endlessness”, de Roy Andersson (Suécia)
“Wasp Network”, de Olivier Assayas (França, Bélgica)
“Marriage Story”, de Noah Baumbach (Estados Unidos)
“Guest of Honor”, de Atom Egoyan (Canadá)
“Ad Astra,” James Gray (Estados Unidos)
“A Herdade”, de Tiago Guedes (Portugal, França)
“Gloria Mundi”, de Robert Guediguian (França)
“Waiting For The Barbarians”, de Ciro Guerra (Itália)
“Ema”, de Pablo Larrain (Chile)
“Saturday Fiction”, de Lou Ye (China)
“Martin Eden”, de Pietro Marcello (Itália, França, Alemanha)
“La Mafia non è più quella di Una Volta”, de Franco Maresco (Itália)
“The Painted Bird”, de Vaclav Marhoul (República Tcheca)
“The Mayor of Rione Sanità”, de Mario Martone (Itália, França)
“Babyteeth”, de Shannon Murphy (Austrália)
“Joker”, de Todd Philips (Estados Unidos)
“J'accuse”, de Roman Polanski (França)
“The Laundromat”, de Steven Soderbergh (Estados Unidos)
“No. 7 Cherry Lane”, de Yonfan (China)

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas