Filme repetido: Bahia sofre com falhas e tem defesa em crise

e.c. bahia
24.03.2021, 16:00:00
Atualizado: 24.03.2021, 20:26:40
Titular do gol tricolor desde 2018, Douglas tem convivido com críticas por conta de falhas (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

Filme repetido: Bahia sofre com falhas e tem defesa em crise

Tricolor levou gols em quatro dos cinco jogos que disputou na temporada

Se tem um setor do Bahia que tem causado preocupação constante, com certeza é a defesa. Em 2021, o Esquadrão tem assistido um filme de terror repetido do ano passado.

A defesa foi ponto problemático do Bahia em 2020. Só no Campeonato Brasileiro foram 59 gols sofridos em 38 rodadas, o terceiro mais vazado entre todos os participantes e recorde negativo do clube no modelo por pontos corridos com 20 equipes.

A Série A chegou ao fim, um novo ciclo começou, e os velhos problemas continuam. Nos cinco jogos que a equipe principal disputou nesta temporada, apenas na goleada contra o Sport a rede tricolor não foi balançada. Até aqui foram cinco gols sofridos em cinco jogos, média de um por partida.

Ou seja, nesse cenário, é como se o time já entrasse em campo sabendo que precisa fazer pelo menos dois gols para vencer. Nos quatro jogos em que saiu perdendo, o Bahia só conseguiu a virada na goleada por 7x1 sobre o Campinense, pela Copa do Brasil.

Embora se trate de um esporte coletivo, a explicação para a fase ruim do sistema defensivo passa diretamente pelas peças que compõem o setor. A defesa é praticamente a mesma que disputou a temporada anterior. A única mudança foi a saída de Ernando, que não teve o contrato renovado, para a entrada de Juninho, seu reserva. Com alguns atletas vivendo má fase técnica prolongada, fica difícil encontrar soluções.

Diante do CSA, terça-feira, em Maceió, as falhas do goleiro Douglas e do zagueiro Juninho contribuíram diretamente para a derrota por 2x0, pela Copa do Nordeste. 

As críticas ao camisa 1 não são novas. No ano passado, Douglas chegou a perder posição após erros que custaram a eliminação na Copa do Brasil para o River do Piauí e a derrota no clássico contra o Vitória. Ele recuperou a posição e, ao longo do ano, voltou a cometer falhas - e ainda sofreu com lesões.

Para piorar a situação, os reservas de Douglas também passaram por momentos ruins. Enquanto Anderson cometeu falhas grosseiras que anteciparam em algumas semanas sua saída do clube, Mateus Claus até conseguiu dar boa resposta quando foi acionado, mas se machucou e também desfalcou a equipe na reta final da Série A. Ele voltou ao banco no duelo contra o CSA.

Com a saída de Anderson do elenco, existia expectativa pela contratação de um goleiro com rodagem para brigar pela titularidade. No entanto, a diretoria apostou no jovem Dênis Júnior, de 22 anos, emprestado pelo São Paulo. 

Reforços na área
Não será surpresa se o sistema defensivo ganhar a participação de novas peças nos próximos compromissos. Jogador que chegou como uma das grandes apostas do clube para a temporada 2021, o zagueiro argentino Germán Conti já está regularizado e tem ficado como opção no banco de reservas. Conti pode ser escolhido por Dado Cavalcanti para estrear contra o Altos, domingo (28), em Pituaçu, pela Copa do Nordeste. 

O Bahia ainda terá em breve outro reforço para o setor. O zagueiro Luiz Otávio, ex-Chapecoense, ainda não foi anunciado oficialmente, mas treina na Cidade Tricolor desde o início da semana. 

O Esquadrão tentou também a contratação do zagueiro Messias, do América-MG, mas a proposta foi recusada pelo clube. Ele foi anunciado pelo Ceará nesta quarta-feira.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas