Final de linha: picape da Mercedes deixará de ser produzida

autos & etc
01.02.2020, 05:00:00

Final de linha: picape da Mercedes deixará de ser produzida


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

De acordo com jornal espanhol, a picape da Mercedes deixará de ser produzida
(Foto: Divulgação)

Ao invés de desenvolver uma picape, a Mercedes-Benz preferiu fazer um acordo com a Nissan para configurar uma versão da Frontier. Para o mercado brasileiro, onde houve até treinamento para as concessionárias, o veículo seria importado da Argentina - da mesma fábrica de onde é feito o modelo da Nissan. No entanto, não houve um entendimento final sobre custos e a parceria na América do Sul foi cancelada.

Assim, a Classe X, como foi batizada a Frontier da Mercedes, seguiu sendo produzida apenas na Espanha. Mas essa semana o jornal La Vanguardia publicou que a picape deixará de ser produzida em Barcelona. De lá, a picape atendia apenas a Europa e mercados menores, como o Chile.

A Renault também desenvolveu um modelo que tem a Frontier como base, a Alaskan e espera uma retomada do mercado argentino para produzi-lo em Córdoba, onde é montada a Frontier que vem para o Brasil.

A Classe X é feita sobre a mesma base da Nissan Frontier
(Foto: Divulgação)

A Renault aguarda um melhor momento para lançar a Alaskan
(Foto: Divulgação)

Mercado global
A consultoria Focus2Move liberou o ranking consolidado dos modelos mais vendidos do mundo em 2019. Em todas as suas configurações, o Toyota Corolla liderou a disputa com 1.236.380 unidades vendidas. As picapes Ford Série-F (1.070.234) ocupou a segunda posição e o Toyota RAV4 (931.852) ficou com a terceira posição.

(Foto: Marina Silva/CORREIO)

Na sequência, dois modelos da Honda: Civic (821.374) e CR-V (818.981). Da sexta à décima posição ficaram: Volkswagen Tiguan (741.297), Picapes Ram (731.895), Toyota Camry (690.729), VW Golf (687.664) e Chevrolet Silverado (644.013).

Cores preferidas
De acordo com um estudo da Basf, o branco continua sendo a cor favorita dos consumidores sul-americanos, abrangendo uma parcela de 39% do mercado em 2019. Essa tendência já é perceptível há vários anos. Outras cores acromáticas estão entre as preferidas dos consumidores: 23% deles escolhem o prata e, 14%, o cinza.

A cor preta, que soma um total de 11% da parcela de mercado, não é tão popular na América do Sul, comparada com 16% que ocupa a proporção global. Entre as cores cromáticas, o vermelho continua na frente, com 8% da fatia de mercado, seguido do azul e do bege. 

Obituário
A Fiat anunciou que depois de 23 anos encerrou a produção da Weekend. A station wagon da família Palio teve 530 mil unidades produzidas neste período e foi pioneira como o primeiro modelo aventureiro deste segmento. Foi também o primeiro veículo nacional 4x2 com bloqueio de diferencial, o Locker. O último modelo da família Palio que segue em linha é a picape Strada, que será renovada em abril.

(Foto: Evandro Veiga/Arquivo CORREIO)

Quase no fim
Aos poucos, a Fiat está deixando de oferecer a transmissão automatizada aos seus modelos. A solução, que é inferior e mais barata que a automática, equipava do Mobi ao Cronos. Atualmente, apenas o sedã continua oferecendo esse câmbio associado ao motor 1.3. A Fiat já trabalha em uma transmissão do tipo CVT e a venda da Magneti Marelli acelerou o processo de retirada do câmbio que já foi chamado de Dualogic e agora é denominado GSR.

(Foto: Fiat/Divulgação)

Acima da média
A Caoa atingiu a marca de 135.254 veículos vendidos durante o ano passado, um crescimento de 18,76% em relação a 2018 enquanto o mercado cresceu 8,6%. A Caoa atua na produção (Chery e Hyundai), importação (Hyundai e Subaru) e no comércio de dessas marcas e também da Ford.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas