Fiscalização interdita 139 estabelecimentos nos quatro novos bairros com restrição

coronavírus
03.06.2020, 16:29:00
Atualizado: 03.06.2020, 16:29:57
(Foto: Jefferson Peixoto/Secom)

Fiscalização interdita 139 estabelecimentos nos quatro novos bairros com restrição

Vistorias aconteceram em Fazenda Grande do Retiro, Tancredo Neves/Beiru, Cabula e Paripe

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Os bairros de Fazenda Grande do Retiro, Tancredo Neves/Beiru, Cabula e Paripe, onde as medidas regionalizadas de restrição começam a valer nesta quarta-feira (3), passaram por fiscalização nesta manhã. Durante a ação, foram feitas 139 interdições em estabelecimentos dos quatro locais. Entre eles, estavam, principalmente, oficinas, lojas de cosméticos e de material de construção. 

A força-tarefa, liderada pela Secretaria de Desenvolvimento e Urbanismo, com apoio da Guarda Civil Municipal (GCM) e Polícia Militar da Bahia (PM-BA), teve, ao todo, 1.223 vistorias pela manhã. Fazenda Grande do Retiro foi o bairro com o maior número de interdições, com 84, seguido de Paripe, com 30, Tancredo Neves/Beiru, com 19, e Cabula, com seis. 

As quatro localidades não são as únicas que passam pelas medidas restritivas regionalizadas e e ações de proteção à vida, para tentar conter o avanço da covid-19 em Salvador. Periperi (cujo prazo, prorrogado por mais sete dias, venceria nesta quarta), Lobato, Cosme de Farias e Pernambués também estão incluídos na iniciativa, já que possuem número preocupante de casos do coronavírus e demonstraram relaxamento do isolamento social.

Nestes lugares, todo o comércio, independentemente do tamanho da área ocupada, deve permanecer fechado. As únicas exceções são as atividades essenciais: supermercados, padarias, delicatessens, farmácias, açougues e estabelecimentos que utilizam o sistema de delivery (sem retirada no local). Ambulantes e feirantes, que estão recebendo cestas básicas, também devem suspender seus trabalhos nas ruas. 

A distribuição de cestas básicas para ambulantes e feirantes, inclusive, faz parte das ações de proteção à vida, assim como distribuição de máscaras, realização de testes rápidos para detecção do coronavírus, medição de temperatura, higienização de ruas, ações de combate ao mosquito Aedes aegypti e Cras Itinerante. 

No caso de Paripe, além do fechamento do comércio e das ações de proteção à vida, também já foi feita a interdição viária no pequeno trecho entre duas rotatórias da Avenida Afrânio Peixoto (Suburbana), ligando as ruas Tamandaré e Mourão de Sá, pela Transalvador. A medida foi tomada para ampliar o isolamento social nessa área, que comumente tem fluxo intenso de pessoas.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas