Fórum Agenda Bahia 2018: você sabe o que é inteligência artificial?

agenda bahia
16.09.2018, 06:00:00
Atualizado: 21.09.2018, 17:46:31
Interação entre humanos e máquinas é um dos temas do Fórum Agenda Bahia 2018 (Arte de Quintino Andrade)

Fórum Agenda Bahia 2018: você sabe o que é inteligência artificial?

Entenda o mundo onde as máquinas sabem pensar

Ao buscar o SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) da operadora de telefonia, internet ou TV à cabo, boa parte dos clientes já deve ter sido orientada por uma ‘gravação’ que oferece um menu de opções e pede que eles teclem os números correspondentes a cada alternativa. Se o problema é do tipo básico, a dúvida é esclarecida logo nas primeiras tecladas. Mas, se for complicado, ao final das opções, ‘a gravação’, que a maioria dos consumidores detesta ouvir, direciona a chamada para um atendente humano com o famoso “tecle 9”. 

O que é popularmente chamado de ‘a gravação’, na verdade é um Chatbot (junção das palavras robô e bate-papo, em inglês), uma ferramenta de inteligência artificial (IA) que realiza o atendimento em primeiro nível; ou seja, daquelas necessidades mais comuns dos clientes e que correspondem a um alto volume de demanda nos SACs. 

Mas, o que exatamente é a Inteligência Artificial e para o que ela serve, além de irritar consumidores que tentam acessar o atendimento ao cliente das empresas? Em uma explicação bem resumida: Inteligência Artificial é um ramo da informática que cria máquinas inteligentes capazes de simular as faculdades humanas de raciocinar, perceber, tomar decisões e resolver problemas. 

“É um conceito que se assemelha ao comportamento humano de aprender com os erros e acertos, e buscar o aprendizado para obter decisões mais assertivas no futuro. O conceito típico de Inteligência Artificial é a tomada de ações a partir de percepções anteriores. É a busca por realizar operações tomando como base atitudes e informações prévias, maximizando os acertos ou alcançando objetivos”, conceitua Leonardo Almeida, professor dos cursos de Tecnologia e Administração do Centro Universitário Jorge Amado – Unijorge e mestre em Modelagem Computacional e Tecnologia Industrial pelo Senai Cimatec.

Outro exemplo de IA bem próximo do cotidiano está nos smartphones. São as assistentes virtuais como a Siri, da Apple, Alexa, da Amazon, ou o Google Voice, que por meio do reconhecimento de voz do dono do aparelho, oferecem informações e ações com base no comportamento de cada pessoa. 

Com a sofisticação cada vez maior da tecnologia desses dispositivos, os assistentes virtuais estão em constante ‘aprendizado’, o que ocorre a partir da coleta constante de informações, como as diferenças de pronúncia de cada sotaque, por exemplo.

Nos SACs, inclusive, os chatbots evoluem a ponto de simular o atendimento humano e, segundo o professor Leonardo, muitas pessoas sequer percebem que estão conversando com um atendente virtual e não com um funcionário de carne e osso.

Domínio das máquinas

Leonardo Almeida explica que atualmente, a IA é uma ferramenta que auxilia os humanos em diversas áreas, desde os buscadores que fazem sugestões com base no histórico prévio do usuário, até a análise de exames clínicos, auxiliando os médicos em diagnósticos mais precisos.

Se reparar bem, as máquinas e plataformas dotadas de IA estão por toda parte: em algoritmos comportamentais, nos veículos autônomos, na capacidade dos nossos serviços de e-mail de reconhecer o que é spam e enviar para a lixeira, e em aplicativos de trânsito, só para citar os exemplos mais comuns.

“A IA funciona analisando uma grande quantidade de dados e para tal, utiliza algoritmos (conjunto de passos) desenvolvidos com conceitos matemáticos, estatísticos e de outras áreas, para a resolução de problemas. O aprendizado da IA é adquirido com a análise dos dados e a busca por padrões, semelhante ao ser humano que consegue inferir a partir das suas vivencias passadas, identificando probabilidades de que algo volte a acontecer ou reconhecendo algo que já foi visualizado no passado” (Leonardo Almeida).

O advento da IA altera a forma como pessoas e instituições se relacionam com a tecnologia. Essa interação cada vez mais frequente entre humanos e máquinas e a combinação das duas formas de inteligência: a das pessoas e dos robôs, potencializando o desenvolvimento humano, permeiam os debates do Fórum Agenda Bahia 2018, evento realizado pelo Correio* para fomentar o desenvolvimento social e econômico do Estado. Em novembro, o fórum - que está em sua nona edição - irá realizar o seminário Humanize-se

Especialistas como o professor Leonardo Almeida, da Unijorge, acredita que a IA será sempre aliada dos seres humanos

Ficção científica

Obras da literatura e do cinema, do gênero ficção científica, geralmente representam a Inteligência Artificial como uma grande vilã que vai dominar a humanidade, em um cenário de futuro distópico e, em alguns casos, apocalíptico.  Na vida fora dos livros e dos filmes, o prognóstico dos especialistas mais pessimistas é de que o advento das máquinas ‘pensantes’ tornará os seres humanos obsoletos; enquanto os mais otimistas enxergam a IA como grande aliada no desenvolvimento humano.

Para o professor Leonardo Almeida, a tecnologia por trás da IA se assemelha às ondas do mar. Por mais que se tente contê-la, uma hora ela prevalece e invade profissões, forçando as pessoas a migrarem para outras áreas. 

“Foi assim como os datilógrafos, as telefonistas ou os simples acendedores de postes da iluminação pública. A tecnologia chegou e estas profissões deixaram de existir, mas surgiram novas profissões. Acredito que a tecnologia sempre vai ser aliada do ser humano. Mesmo quando ela tira as pessoas das suas posições de conforto, está contribuindo com a evolução e forçando ao aperfeiçoamento e à busca por novos conhecimentos”. 

O Fórum Agenda Bahia 2018 é uma realização do CORREIO, com patrocínio da Sotero Ambiental e Oi, apoio institucional da Prefeitura de Salvador,  Federação das Indústrias da Bahia (Fieb), Fundação Rockefeller e Rede Bahia; e apoio do Sebrae.

Entenda o que é Inteligência Artificial:

O conceito – Inteligência Artificial (IA) é um ramo da informática que cria dispositivos (máquinas inteligentes) hábeis em simular a capacidade humana de aprender, raciocinar, perceber e tomar decisões de forma racional para resolver problemas;

Quando surgiu – O termo foi criado em 1956, pelo professor universitário John McCarthy, para descrever um mundo onde as máquinas “poderão resolver os problemas que hoje são reservados aos humanos”, afirmou ele, na época.

Como funciona – Atualmente, a IA combina big data, computação em nuvem e bons modelos de dados para gerar máquinas mais inteligentes. Isso significa que a IA é uma combinação de análise de grandes quantidades de dados, que alimentam os modelos e servem para que os dispositivos ‘aprendam’ e se ‘aprimorem’.

Onde é usada – Em assistentes pessoais como a Siri, da Apple, e a Alexa, da Amazon, que utilizam processamento de voz; no Facebook para reconhecimento de imagem nas recomendações de marcações em fotos; no Waze, para prever rotas de tráfego; no Google, que preenche automaticamente as buscas utilizando recursos de IA e também prevê o que queremos pesquisar; etc

Ferramentas de Inteligência Artificial úteis para o dia a dia:

*SwiftKey – O aplicativo dá um upgrade no teclado dos dispositivos móveis, personalizando a aparência do teclado. Também oferece uma maneira diferente de digitar, deslizando o dedo pelas letras. Outra funcionalidade é que a correção automática é feita com base no estilo de escrita pessoal. É possível também escrever em cinco idiomas diferentes sem precisar trocar as configurações.

*Edison Assistant – A ferramenta tem função de um assistente pessoal e mapeia o trânsito para que o motorista consiga se programar facilmente em relação ao tempo de viagem até o destino. Também indica a melhor rota, remove seus contatos duplicados e permite fazer reservas em hotéis, cinemas, restaurantes, eventos e outros.

*Robin - Funciona como assistente pessoal enquanto se está dirigindo. Permite escrever textos por voz, obter informações locais e navegação GPS sem tirar os olhos da estrada, indica status de tráfego, locais de estacionamento, previsão do tempo e até acesso ao Twitter News, entre outras coisas

*Socratic - O programa utiliza inteligência artificial aliada aos dados de milhões de estudantes de todo o mundo para interpretar tópicos relativos a diversas disciplinas. Por meio da ferramenta, é possível escanear uma questão ou digitalizá-la e, em poucos segundos, receber a solução. No caso de problemas matemáticos, as respostas são desenvolvidas, com explicação do passo a passo, para que o usuário aprenda a solucionar a questão.

*Wiz.me – Plataforma de ensino adaptativo que concentra atividades para os diferentes tipos de perfis que buscam aprender inglês. Envia mensagens periódicas para que os alunos lembrem de estudar também fora da sala de aula, melhorando o desempenho.

*Wordsmith - A ferramenta de geração de conteúdo funciona como uma espécie de cientista de dados pessoais e cria relatórios personalizados para empresas e sites de notícias.

A inteligência artificial no cinema e na literatura:

Cena do filme Eu, Robô

*Eu, Robô e O Homem Bicentenário – Os livros de Isaac Asimov inspiraram os filmes homônimos de Alex Proyas e Chris Columbus, respectivamente;

Matrix foi protagonizado pelo ator Keanu Reeves

*Neuromancer – O livro de William Gibson inspirou a trilogia Matrix, das irmãs Wachowski;

2001: uma odisseia no espaço apresenta o computador Hal 9000, uma sofisticada IA

*2001: uma odisseia no espaço – O livro de Arthur C. Clarke faz parte de um projeto dele com o diretor Stanley Kubrick e gerou também o filme homônimo;

Harrison Ford vive o personagem Blade Runner

*Androides Sonham com Ovelhas Elétricas? – O livro de Philip K. Dick foi adaptado para o cinema e rendeu o filme Blade Runner – O Caçador de Androides, de Ridley Scott;

O círculo aborda questões como IA e privacidade na internet

*O Círculo – O livro de David Eggers inspirou o filme homônimo de James Ponsoldt;

Metropolis é considerado um dos pioneiros em abordar IA no cinema

*Metropolis – O filme de 1927, do diretor alemão Fritz Lang, é baseado em romance de Thea von Harbou, que assinou o roteiro junto com Lang;

AI: Inteligência Artificial traz uma criança robô com sentimentos humanos

*AI: Inteligência Artificial – O projeto do filme foi iniciado por Stanley Kubrick e depois da morte do diretor, continuado por Steven Spielberg;

Minority Report traz um futuro onde os crimes são previstos antes de acontecer

*Minority Report – Um conto do escritor Philip K. Dick inspirou o filme homônimo de Steven Spielberg;

Joaquim Phoenix interpreta o professor Theodore em Ela

*Ela – O filme de Spike Jonze conta a história de um escritor solitário que se apaixona por uma Inteligência Artificial (a assistente virtual do seu computador);

Ex-Machina apresenta uma IA tão perfeita, que confunde o protagonista

*Ex-Machina – O filme de Alex Garland conta a história de um jovem programador que participa de uma experiência para testar uma inteligência artificial criada por um brilhante e recluso bilionário;

Alphaville foi lançado em 1965

*Alphaville – O filme de Jean Luc Godard apresenta o computador Alpha 60, que comanda a cidade de Alphaville e aboliu os sentimentos de todos os habitantes;

Prometheus foi lançado em 2012

*Prometheus - O filme de Ridley Scott é um prequel de outro sucesso do diretor, Alien – O 8º Passageiro;

Os Vingadores: A era de Ultron foi lançado em 2015

*Os vingadores: A era de Ultron – O filme dirigido por Joss Whedon traz Tony Stark (o Homem de Ferro), que construiu um sistema de inteligência artificial que protegeria o planeta de ameaças e garantiria a paz mundial, mas o projeto dá errado;

Tron: Uma Odisseia Eletrônica é de 1982

*Tron: Uma Odisseia Eletrônica – O filme de Steven Lisberger apresenta o engenheiro de computação Kevin Flynn, que após descobrir que um executivo da empresa queria roubar seu projeto, é transportado para um mundo digital.