Galhos atingem fiação, e abastecimento de energia é interrompido em bairros de Salvador

salvador
04.03.2022, 21:55:00
(Foto: Reprodução)

Galhos atingem fiação, e abastecimento de energia é interrompido em bairros de Salvador

Falta de energia durou cerca de 40 minutos no Garcia e Corredor da Vitória

O temporal que atinge Salvador nos últimos dias deixou parte do bairro do Garcia e do Corredor da Vitória sem energia na manhã desta sexta-feira (4). O abastecimento foi interrompido por 40 minutos - o suficiente para mudar a rotina de quem transita ou mora na região.

De acordo com a assessoria da Coelba Neoenergia, o desabastecimento foi causado pela queda de galhos de árvores na rede devido à forte chuva que ocorreu no início da manhã e seguiu ao longo do dia.

No Garcia, o segurança Paulo Filho, 52 anos, chegou mais tarde no trabalho, pois não conseguiu realizar todas as tarefas de que precisava, por causa da falta de luz. Ele trabalha em um supermercado. Segundo ele, antes da interrupção, a energia oscilou algumas vezes.

“A madrugada deu indícios de que a luz poderia faltar. Choveu muito, e as lâmpadas piscaram algumas vezes, em intervalos grandes, por isso passou despercebido. De manhã já estava sem energia nenhuma e isso me atrasou”, disse Paulo.

O estudante Diego Castro, que mora em um prédio no Corredor da Vitória, contou que a energia do edifício oscilava e caiu quatro vezes durante a manhã desta sexta. A maior preocupação da família foi com a possibilidade de ocorrerem danos nos eletrodomésticos. Além de ter faltado energia na residência, faltou também no colégio onde ele estuda.

O Antônio Vieira precisou suspender parte das aulas. A assessoria da escola informou que a causa do desabastecimento não teve relação com a queda dos galhos que interromperam o serviço da Coelba. A vistoria da equipe de engenharia do Vieira apontou que o problema foi causado pela queima de um disjuntor de alta tensão que alimenta parte da unidade. Assim, apenas o prédio do oitavo, nono e ensino médio foram afetados. As aulas foram suspensas, e os funcionários que trabalham no local foram remanejados para o home office.

Muitos estudantes já estavam na escola quando houve a queda de luz. A chuva e a falta de energia se tornaram um transtorno para alguns deles. O estudante Diego Castro, do segundo ano, havia acabado de chegar ao colégio quando recebeu a notícia de que teria que voltar para casa. Ele costuma retornar andando, mas por causa da chuva forte, teve que permanecer no local até as 12h30. O serviço só foi restabelecido no início da tarde.

*Com orientação da subchefe de reportagem Monique Lôbo

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas