Gedoz fica sem contrato em janeiro e pode assinar sem custos

e.c. vitória
29.11.2019, 05:00:00
Gedoz disputou 26 partidas pelo Vitória na temporada (Foto: Leticia Martins/EC Vitória)

Gedoz fica sem contrato em janeiro e pode assinar sem custos

Meia pertence ao Athletico-PR e está emprestado ao Vitória até o final da temporada

Sem ter mais nada a disputar, o Vitória está virtualmente “fechado para balanço”. É hora de analisar quem rendeu, quem decepcionou e, com um jogo a mais para disputar, oferecer a última chance àqueles que não tiveram tanto espaço ao longo da Série B. O time encerra o ano no próximo sábado (29), às 16h30, contra o Coritiba, no Barradão.

Felipe Gedoz teve muitas oportunidades no rubro-negro durante a competição, com 26 partidas ao todo. Contratado para resolver o problema do meio-campo vermelho e preto, as oscilações do camisa 10 fazem com que termine o ano gerando dúvidas. Uma, em especial, resume a ópera: deu certo?

Em números brutos, Gedoz participou diretamente de seis gols. Além de cinco que ele anotou, deu uma assistência. Contudo, há nuances que valem a pena analisar. Por exemplo, contra o CRB, na 35ª rodada, foi de uma falta cobrada por ele que nasceu o pênalti convertido por Thiago Carleto e que garantiu um ponto ao Vitória no empate em 2x2 dentro de casa. 

Além disso, ele é o jogador que mais vezes deixou os companheiros em condições de marcar. Segundo o site de estatísticas Footstats, Gedoz deu 34 passes para finalização, liderando um quesito esperado devido à posição em que atua. São sete a mais que o centroavante Anselmo Ramon, segundo no ranking. 

Dos 26 jogos que Gedoz disputou, o Leão venceu sete, empatou dez e perdeu nove. Ele começou como titular na maioria das vezes, 20, e saiu do banco de reservas em seis. A cada jogo, o camisa 10 tem em média 67 minutos de tempo em campo. Perdeu a titularidade nesta reta final da competição e amanhã está cotado para retornar ao time contra o Coritiba.

O meia enfrentou algumas dificuldades em sua chegada, principalmente relacionados ao excesso de peso que apresentava. Antes de desembarcar em Salvador, Gedoz não tinha disputado nenhum jogo em 2019. Isso explica o fato de que, em seus dois primeiros jogos, contra Sport e Oeste, atuou só por 20 minutos.

Aos 26 anos, o atleta encontrou o grande trunfo na pausa da Série B por causa da realização da Copa América no país, em junho, para entrar em forma e voltar ao time na condição de titular. De bem com a balança, chegou a marcar dois gols e dar uma assistência no intervalo de quatro jogos – gols em cima de Londrina e Ponte Preta e passe para Anselmo Ramon fazer sobre o Figueirense.

Ele ainda garantiu quatro pontos para o Vitória ao assinar a autoria dos gols contra o CRB (1x0), no primeiro turno, e contra o Criciúma (1x1), na segunda metade da competição.

“Gedoz é um exemplo. Ele chegou no Vitória com taxa de 24% de gordura e terminou com 11%. Eu espero que o Vitória tenha dado essa contribuição para ele, independente se ele vai ficar ou não para a próxima temporada, já que o contrato dele com o Athletico termina em janeiro e ele é um jogador livre”, disse o presidente do clube, Paulo Carneiro, em entrevista ao Globoesporte.com.

Apesar de ficar livre no mercado, a negociação para permanecer no Leão precisaria avançar no aspecto financeiro, já que atualmente o Athletico paga parte do salário do atleta no Vitória. Em 2020, caberia integralmente ao rubro-negro baiano.

*Supervisão do subeditor Miro Palma

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas