Governo Bolsonaro homenageia Dia do Agricultor com foto de homem armado

brasil
28.07.2021, 11:33:00
Atualizado: 28.07.2021, 11:54:41
(Reprodução)

Governo Bolsonaro homenageia Dia do Agricultor com foto de homem armado

Foto gerou polêmica nas redes e desagradou setor do agronegócio

A Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República postou nesta quarta-feira (28) uma homenagem ao Dia do Agricultor. Mas um detalhe chamou atenção: a foto usada mostra a silhueta de um homem armado em meio ao mato.

Vários usuários criticaram a escolha. A foto usada é vendida no banco de imagens iStock, que é pago. A descrição dela no site diz: "Silhueta de caçador carregando espingarda no ombro e observando". Em outra agência, a descrição é "homem segurando arma ao pôr do sol".

"Até o Google Sabe que isso não é um agricultor", postou um internauta, mostrando que o resultado da busca com a imagem é "caçada" (hunting, em inglês). Outro respondeu: "Não existe dia do jagunço no Brasil". "Sou filha, neta, bisneta de agricultores, de calo nas mãos e suor no rosto. Essa espingarda em lugar de uma enxada é uma ofensa à memória deles", escreveu uma usuária do Twitter.

O perfil do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) também criticou o post. "É a cara desse governo achar que comida se faz na bala", escreveu. O deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP) criticou a peça e afirmou que o dia "não é da milícia rural". O deputado estadual Goura Nataraj (PDT-PR) também classificou a ação como "miliciana".

Houve apoio por parte de alguns apoiadores, que associaram a imagem com a necessidade de proteção das terras. A postagem já teve mais de 3 mil compartilhamentos, 1.600 curtidas e mais de 3 mil comentários.

Segundo reportagem do Valor Econômico, a publicação surpreendeu até as alas mais conservadoras do setor de agronegócio, causando revolta.

Governo armamentista
O armamento da população é um tema caro ao presidente Jair Bolsonaro. Desde que ele assumiu, assinou decretos para ampliar o acesso a armas e já deu declarações afirmando que gostaria de ver toda população armada.

Entre os decretos, houve um que permitiu aumentar de quatro para seis o número máximo de armas de uso permitido para pessoa certificada. Também houve alteração para permitir que atiradores e caçadores comprem até 60 e 30 armas, respectivamente, sem precisar de autorização do Exército.

A própria mensagem postada hoje destaca que Bolsonaro "estendeu a posse de arma do proprietário rural a toda a sua propriedade", em referência uma lei sancionada em setembro de 2019. A mudança na regra permite carregar a arma por toda a propriedade, e não apenas na sede do imóvel rural, como era previsto antes da nova legislação.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas