Governo do Ceará proíbe tradicional réveillon de Fortaleza, na Praia de Iracema

brasil
27.11.2021, 11:52:15
Praia de Iracema (Foto: Fabio Lima/O Povo|Rede Nordeste)

Governo do Ceará proíbe tradicional réveillon de Fortaleza, na Praia de Iracema

A proibição se estende a qualquer grande evento de réveillon em todo o Estado

Por mais um ano, cearenses não poderão aproveitar a tradicional "Festa da Virada", no aterro da Praia de Iracema, em Fortaleza, por causa da pandemia de covid-19. A decisão foi confirmada e anunciada pelo Governador do Ceará, Camilo Santana, nesta sexta-feira (26). A proibição se estende a qualquer grande evento de réveillon em todo o Estado.

Com isso, as festas seguem o planejamento já disposto nos decretos estaduais anteriores que, a partir do dia 16 de dezembro, permite 2,5 mil pessoas em ambientes fechados e 5 mil em ambientes abertos, com controle de acesso e exigência do passaporte da vacinação.

"Tomamos essa iniciativa por absoluta prudência, responsabilidade e respeito, de forma prioritária, à vida dos nossos irmãos cearenses. Não descansarei enquanto não vacinarmos toda a população cearense", disse o governador durante transmissão ao vivo nas redes sociais.

Outra decisão é que os estabelecimentos que ainda mantêm restrições de capacidade - como as academias, os cinemas e teatros - poderão ampliar a capacidade em sua totalidade, desde que passem a exigir o passaporte da vacinação. Fica a critério do empreendimento.

Sobre o Carnaval, o governador tem a mesma opinião e afirmou que devem seguir a mesma linha de pensamento. Entretanto, essa questão será discutida somente no futuro.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas