GPTW: instituto premia melhores empresas para se trabalhar na Bahia

economia
24.05.2017, 11:05:00
Atualizado: 24.05.2017, 13:01:02

GPTW: instituto premia melhores empresas para se trabalhar na Bahia

Entre os critérios avaliados estão credibilidade, respeito, orgulho e camaradagem. Ranking deste ano foi dividido nas categorias Grandes empresas e Médias e pequenas empresas

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Credibilidade, respeito, imparcialidade, orgulho e camaradagem. Estas são as dimensões para avaliação do nível de confiança dos funcionários e que são a base para identificar as melhores empresas para trabalhar. Em mais uma edição, o instituto Great Place to Work (GPTW) divulgou a lista com as 15 premiadas na Bahia, numa cerimônia realizada nesta última terça-feira (23) em Salvador, e agora divulgada com exclusividade pelo Correio.

Pela primeira vez, o GPTW dividiu o ranking em duas categorias: Grandes empresas e Médias e pequenas empresas. O ano base é 2016. Na primeira, entraram na lista, seguindo a posição, as empresas Dínamo Engenharia, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Supermercados GBarbosa, Grupo Ramiro Campelo e Grupo TPC. Entre as médias e pequenas, estão o Laboratório Leme, Laboratório Sabin, Kordsa Global, Icatu Bahia, Juá Shopping, Perini, Distribuidora Martins, Tend Tudo, Bravo Caminhões e Ônibus e LM Frotas.

A diretora do Ranking da GPTW, Carla Costa, explicou que a metodologia para a escolha e definição do ranking tem como base uma pesquisa realizada junto aos funcionários com 58 questões e a análise das práticas da empresa, que deve atingir uma amostra mínima de funcionários estipulada e obter uma nota igual ou superior a 70%. Após esta etapa, é feita avaliação dos comentários dos colaboradores e das ações realizadas pelas companhias. O peso é de 56% para a pesquisa quantitativa, 11% para a pesquisa qualitativa e 33% para as práticas da empresa.

As questões da pesquisa respondida pelos funcionários envolvem temas como relação com gestores e líderes, ambiente de trabalho, desenvolvimento profissional, política de remuneração e transparência. “Em um mundo tão competitivo, empresas que atingem seus resultados de negócio através das pessoas merecem ser homenageadas. Fomento de boas práticas, incentivo ao diálogo e à cultura da confiança são a verdadeira engrenagem para que organizações sejam saudáveis”, disse Carla.

O desafio para as empresas que participam do levantamento e entram na lista, segundo a diretora, é estar todos os anos no ranking. “Algumas delas estão desde a primeira edição”, destaca Carla Costa. Ela enfatiza ainda a importância da presença na lista. Segundo a diretora, as companhias presentes no ranking atraem muitos candidatos para trabalhar. “As que participam da lista na Bahia, por exemplo, recebem, em média, mais de 15 mil currículos por ano”, informou.

Reconhecimento

O presidente da secção Bahia da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-Bahia), Cezar Almeida, destacou a importância de iniciativas que reconhecem as práticas de gestão de empresas que estão fazendo trabalho diferenciado nessa área. “Dentre as premiadas existem várias associadas à ABRH-Bahia e é importante destacar que temos um círculo virtuoso: quanto mais as empresas investem em gestão de pessoas, mais elas são reconhecidas. Isso gera mais investimento, o que acaba gerando mais resultados”, citou.

Já o diretor executivo do jornal Correio, Roberto Gazzi, destacou que os leitores têm a oportunidade de, através deste caderno especial, conhecer melhor as empresas que investiram na transformação do ambiente de trabalho, com o objetivo de gerar uma sociedade com pessoas e empresas mais saudáveis.

Inscritos

Nesta quarta edição da lista da GPTW na Bahia, 33 empresas se inscreveram, representando 30.953 funcionários, sendo que 15 foram premiadas, sendo cinco grandes e 10 médias e pequenas. Em média, possuem 34 anos de existência, 12 são nacionais e uma tem capital aberto. Para participar do ranking, as companhias devem ter no mínimo 30 colaboradores e ter CNPJ no estado.

Os homens são maioria (62%) entre os colaboradores, inclusive entre os CEOs: 12 dos 15. Já as mulheres dominam a área de Recursos Humanos. São 10 diretoras de RH na lista, destacando o fato de que 56% dos gestores fizeram carreira na própria empresa, levando, em média, cinco anos, para ocupar o posto.

GPTW – O instituto Great Place to Work é uma empresa global de consultoria e treinamento, fundada nos Estados Unidos, que realiza a pesquisa das melhores empresas para trabalhar em 53 países, em todos os continentes, envolvendo sete mil companhias e 12 milhões de colaboradores. No Brasil, está presente há 25 anos, e em 2016, a edição nacional contou com a participação de duas mil empresas.

Perfil dos colaboradores que avaliaram as empresas

Por idade

Até 25 anos 20%

26 a 34 anos 36%

35 a 44 anos 28%

45 a 54 anos 12%

Acima de 55 anos 4%

Por gênero

Homens 62%

Mulheres 38%

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas