Grávida de 22 anos é achada morta dentro de mala na Grande São Paulo

brasil
22.06.2022, 15:05:00
(Reprodução)

Grávida de 22 anos é achada morta dentro de mala na Grande São Paulo

Polícia diz que há 3 suspeitos: ex-namorado da vítima, atual namorado e o pai do bebê

Uma mulher de 22 anos que estava grávida foi achada morta dentro de uma mala na Estrada da Volta Fria, em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo. Segundo a família, Cíntia Silva dos Santos foi vista pela última vez na quinta (16), quando entrou em um carro de aplicativo para ir encontrar com o ex-namorado.

No domingo (20), o pai dela registrou o desaparecimento. Ontem, o corpo foi achado e já foi reconhecido pelos parentes. A causa da morte será determinada pelo laudo, mas aparentemente ela foi golpeada duas vezes com uma faca. Ela também tinha sinais de espancamento.

Segundo a polícia, há três possíveis suspeitos pelo crime, incluindo o ex-namorado e o atual namorado, que também é ex-padrasto da vítima. 

"O pai dava conta que ela estaria com um ex-namorado, chamado Fabricio, e a polícia imediatamente realizou diligências. Esse Fabricio é uma pessoa que tem antecedentes criminais, nós constatamos que ele estava com o benefício de uma saída temporária de 14 a 20 de junho, requisitamos à Justiça a ida dele a polícia, para ouvi-lo", disse o delegado do caso, Paul Henry Verduraz, em coletiva.

A casa desse suspeito, que é investigado por estupro e violência doméstica, teria sido a primeira parada da vítima. Lá, ela teria recebido uma ligação do namorado atual, que é ex da mãe de Cíntia.

"Enquanto ela estava com o Fabricio, nos últimos momentos de sua vida, ela comunicou aos familiares que iria encontrar com uma pessoa com quem mantinha um relacionamento. Então nós também iremos ouvi-lo", explica o delegado.

O terceiro suspeito é o pai do bebê que Cíntia esperava, mas não foram dados detalhe sobre sua identidade. 

“Tinha sinais de violência física, foi espancada. A causa da morte aguarda o laudo necroscópico, mas é possível presumir que foi um instrumento perfuro cortante, ela tinha duas lesões (provavelmente de) faca. Ela foi agredida sim e quem a matou estava com um sentimento de muita raiva. Agredida com muita violência antes da morte”, acrescentou o delegado.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas