Homem morto a tiros em Periperi estava sendo seguido por criminosos, diz major

coronavírus
30.04.2020, 17:04:00
Atualizado: 30.04.2020, 18:44:41

Homem morto a tiros em Periperi estava sendo seguido por criminosos, diz major

Luís Henrique estava conversando com um conhecido na fila da Caixa Econômica

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

(Foto: Reprodução)

O homem que foi morreu baleado na Praça da Revolução, em Periperi, na tarde desta quarta-feira (29), já estava sendo monitorado e seguido por criminosos. Luís Henrique Bastos Lima, 21 anos, tinha parado para conversar com uma pessoa que estava na fila da Caixa Econômica Federal para receber o auxílio emergencial, quando foi surpreendido. Ele chegu a ser socorrido para o Hospital do Subúrbio, mas não resistiu. 

Segundo o major Roberto Araújo, comandante da 18ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Periperi), provavelmente Luís já estava sendo seguido pelos criminosos.

“Foi a informação que tivemos, de que ele parou para falar com uma pessoa. Aproveitaram que ele estava parado e atiraram. Com certeza, o autor já vinha seguindo a vítima”, declarou o major. Segundo ele, Luís tinha passagem por tráfico de drogas. 

Inicialmente, a suspeita era de que Luís estava na fila e teria reagido a uma tentativa de assalto. Porém, a hipótese já foi descartada. “A Caixa disse que ele não está cadastrado para receber o auxílio emergencial e que, na hora dos disparos, só estava na fila quem havia pego a senha mais cedo para ser atendido até o início da noite. O rapaz não estava com senha alguma, segundo a perícia”, declarou o major. 

Em nota, a Polícia Civil informou que a 3ª Delegacia de Homicídios (DH/BTS) investiga a morte de Luís, que circulava em uma rua lateral a uma agência bancária. Imagens de câmeras de vigilância estão sendo analisadas. A autoria e motivação são apuradas.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas