Horas após Bolsonaro entregar apartamentos, moradores negociam: 'R$ 4,5 mil e leva'

em alta
01.07.2022, 10:40:59
(Foto: Divulgação / Governo do MS)

Horas após Bolsonaro entregar apartamentos, moradores negociam: 'R$ 4,5 mil e leva'

Alguns estão trocando unidades por motos

Moradores que receberam unidades no Residencial Jardim Canguru, em Campo Grande, mal tinham recebido as chaves dos apartamentos populares, inaugurados por Jair Bolsonaro, já começaram a querer vendê-los, nesta quinta-feira (30). Um dos anúncios ia direto ao ponto: "4,5 mil pode vir buscar a chave".

Um jovem que mora na região contou que está tentando negociar uma motocicleta em troca do apartamento. Ele pretende oferecer sua moto e assumir as parcelas mensais de R$ 130.

“Estou oferecendo a minha moto desde ontem e já soube que três apartamentos foram vendidos, logo após a inauguração. Ontem eu quase peguei um. O rapaz tava querendo R$ 5 mil e, no desespero, vendeu por R$ 3 [mil]. Fui falar com ele novamente e já tinha vendido. Outras duas pessoas que falei já tinham vendido também”, argumentou o rapaz em entrevista ao site Midiamax.

Nos grupos que discutem as vendas dos imóveis, outra mulher, que também possui um apartamento no programa de casas populares do governo, ofereceu sua unidade.

“Estou pedindo R$ 70 mil. Quero o dinheiro ou então trocar por uma casa na saída de Cuiabá, que é melhor pra mim. A pessoa transfere para o nome dela e assume a parcela de R$ 130”, disse.

Esses apartamentos fazem parte do Programa Casa Verde e Amarela, do Governo Federal. Por isso, as pessoas que assinaram contrato estavam cientes das condições, como a proibição de cedência, locação e venda, por exemplo.

Ao infringir tais condições, o morador poderá mais receber moradias em nenhum lugar do Brasil. 

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas