Inadimplência cai, mas 61% das famílias de Salvador ainda estão endividadas

salvador
22.02.2021, 16:31:19
Atualizado: 22.02.2021, 17:48:30

Inadimplência cai, mas 61% das famílias de Salvador ainda estão endividadas

Segundo a Fecomércio, percentual de dívidas em fevereiro é menor do que os 61,9% de janeiro; 5º mês de recuo

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), feita pela Fecomércio-BA, apontou que 61% das famílias em Salvador possuem algum tipo de dívida no mês de fevereiro de 2020. Isso equivale a um total de 567 mil famílias endividadas na capital baiana.

O número representa uma queda de 8,1 mil famílias em relação a janeiro de 2021. Além disso, a taxa de endividados caiu pelo quinto mês consecutivo, e desde setembro, quando o percentual foi de 66,9%, o número de famílias com dívidas reduziu 53,8 mil.

"A taxa de inadimplentes também caiu pelo quinto mês seguido e atingiu 25,5% das famílias em fevereiro, ou 237 mil famílias que não conseguiram pagar a dívida até a data do vencimento, 49 mil a menos do que em setembro passado. Apesar da melhora neste período, o percentual de inadimplentes continua alto e preocupante, pois há um ano a taxa era de 15,7%", afirma Guilherme Dietze, consultor econômico da Fecomércio-BA.

O tipo de dívida mais recorrente continua sendo o cartão de crédito com 94,2%, seguido dos carnês (8,4%). "No último trimestre do ano passado, as famílias brasileiras usaram 4,4% a mais de crédito no pagamento à vista em relação ao mesmo período do ano anterior", complementa o consultor.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas